in

Dicas de viagem para Gili Islands na Indonésia

- - Nenhum comentário
Um paraíso pra você se apaixonar
Pra quem tá de viagem pela Indonésia e procura um destino de praia que reúna boa hospedagem, gastronomia, vida noturna agitada e paisagens inesquecíveis, anota aí: Gili Islands é o lugar.

Localizada entre Bali e Lombok e com uma logística relativamente simples pra se chegar, as três pequenas ilhas Gili Trawagan, Gili Air e Gili Meno não decepcionam em nada quando se fala em destino paradisíaco. 

Por isso não deixe de incluir as Gilis no seu roteiro de viagem pela Indonésia. Você vai simplesmente se apaixonar! 💙

A minha viagem


Meu roteiro em Bali estava super enxuto e minha intenção principal era curtir as praias da região. Por isso a escapada até as Gilis Islands foi perfeita!

Estive nas Gilis durante três dias inteiros e achei o tempo suficiente pra conhecer tudo com calma e poder entrar no clima tão especial dessas ilhas.

Melhor época para visitar Gili Islands


As Gili Islands seguem a mesma tendência climática de toda a região e possui basicamente duas estações: a seca, que vai de meados de abril até outubro, e a chuvosa que vai de meados de novembro até março. Porém uma coisa é certa, calor vai fazer sempre!

A alta temporada de Bali e adjacências coincide com os meses menos chuvosos, entre julho e agosto. Nessa época o fluxo de turistas e os preços em geral aumentam. O verão é baixíssima temporada, mas aí tem o risco da chuva, que eu acho que não vale a pena arriscar.

Eu fui na segunda quinzena de abril e peguei um clima ótimo: dias de sol e muito calor. Eu achei a ilha já bem movimentada mas a galera local que eu conversei me disse que aquilo ali não era nada e na alta temporada fica tudo insuportável de cheio. Então fica a dica, se puder, evite.

Como chegar em Gili Islands


A única forma de chegar nas Gilis é através de barcos que saem de ilhas vizinhas: Bali, Lembongan e Lombok.

À partir de Bali, os principais pontos de partida para as Gilis são no sul da ilha (Sanur, Serangan ou Benoa) ou Padang Bai, na região central da ilha.


As principais empresas que operam nesse trajeto são:

Patagonia Express - Partidas de Benoa e Padang Bai. Opera barco maior, tipo ferry. É uma das empresas mais bem avaliadas. Preço ok.
Eka Jaya - Partidas de Serangan e Padang Bai. Opera barco maior, tipo ferry. Preço camarada.
Blue Express - Partidas de Serangan e Padang Bai. Opera barcos menores e é super bem avaliada. Preço elevado.
Gili Getaway - Partidas de Serangan e Padang Bai. Opera barcos menores e é super bem avaliada. Preço ok.
Wahana Gili - Partida de Padang Bai. Opera barcos menores e preço ok.
Gili Gili - Partida de Padang Bai. Opera barcos menores e preço ok.
Scoot Fast Cruises - Partida de Sanur. Opera barcos menores e preço ok.

Você deve avaliar alguns critérios para encontrar a operadora certa para sua viagem:

🚩Preço: os valores entre as operadoras variam. Nas minhas pesquisas observei que quanto mais próximo à data da viagem, as passagens foram ficando mais caras, então podendo comprar com antecedência é um bom negócio.
🚩Local de partida: pra quem está próximo do aeroporto, sair dos portos do sul de Bali anda-se menos tempo de carro e mais de barco. Saindo de Padang Bai anda mais de carro e menos tempo de barco. Pra quem está em Ubud, vale mais a pena sair de Padang Bai.
🚩Horário: no sul da ilha as saídas geralmente são bem cedo. Em Padang Bai é possível encontrar horários mais tarde.
🚩Transfer: a maioria das operadores inclui o transfer hotel/porto no valor do ticket, porém vi algumas que buscam apenas em ponto de encontro, o que significa ter que ficar andando com mala no meio da rua.
🚩Trajeto: é importante verificar quantas paradas o barco faz até chegar em Gili pra saber o tempo de viagem.
🚩Tamanho do barco: os menores balançam mais e pra quem enjoa isso pode ser um problema.

Como você pode ver, são muitas variáveis. 😳

Se o seu roteiro estiver bem encaixadinho e não puder contar com a "sorte" de perder o barco, recomendo comprar o bilhete com antecedência. Todas as empresas vendem bilhetes antecipados e o pagamento pode ser feito com cartão de crédito.

No meu caso, depois de avaliar todos os critérios que citei acima, a operadora que melhor me atendia era a Gili Getaway. Eu preferi sair do sul de Bali pois estava hospedada em Kuta então seria menos tempo de carro num lugar onde o trânsito é complicado. De carro até Sanur foram 30 minutos. Também não queria que o horário fosse super cedo que me fizesse sair do hotel às seis da manhã (era férias e eu queria descansar também!) e a Gili Getaway era a que tinha a saída mais tarde, às 9h (podia até ser um pouquinho mais tarde 😁).

Como "inconveniente" da Gili Getaway, é que os barcos são pequenos, mas como eu não tenho problemas de marear, nesse quesito pra mim tava tranquilo. O atendimento da Gili é muito bom e todos os emails que enviei foram respondidos rapidamente. No dia da viagem o transfer chegou na hora certa e gostei que foi um carro novo só pra nós. No porto em Sanur, achei curioso que a atendente que fez o checkin já oferece remédio para enjoo.

O barco saiu pontualmente às 9h. A equipe foi muito atenciosa e durante o trajeto ofereceu água e toalha gelada (que luxo!). Tinha uma TV passando um filme, o que foi ótimo pra ajudar a passar as 3h de viagem! Sim.. viagem longa e cansativa! O barco fez duas paradas, uma em Lembongam e outra em Gili Gede. Não sei se dei sorte mas achei a viagem bem tranquila e o barco não balançou muito

Há ainda saídas do porto de Amed, bem ao norte de Bali, porém essa opção é mais viável pra quem está hospedado nessa região, visto que é um porto muito distante das demais regiões turísticas de Bali. Pra quem tem sérios problemas de marear, Amed pode ser uma opção também, visto que a viagem de barco a partir de lá leva menos de uma hora.

Chegando em Gili, se o seu hotel não for pertinho do porto e estiver com mala pesada, considere contratar as charretes locais. Carregar peso naquele calorão é só para os fortes.

Ou carrega o peso ou chama a charrete

Como se locomover em Gili Islands


As Gilis são ilhas bem pequenas que podem ser facilmente curtidas à pé! Olha que delícia! Gili Trawagan é a maior de todas e pra você ter uma ideia, em duas horas de caminhada dá pra dar a volta na ilha toda.

Não há carros nas ilhas, apenas algumas poucas motos elétricas circulam por lá. Bicicletas são o principal meio de transporte. Alugar uma é muito fácil, toda esquina tem gente alugando. O preço varia de acordo com o humor de quem tá alugando. Cheguei a pagar IDR 100k por bike no primeiro dia porque aluguei logo de manhã, a hora mais concorrida. No dia seguinte aluguei no fim de tarde e paguei IDR 40k.

Para se locomover entre as ilhas também é muito fácil. Há um ferry público que faz a travessia duas vezes por dia e custa IDR 40k. De hora em hora há barcos privados que fazem a travessia por IDR 85k. Para confirmar horários e valores, eu encontrei um aplicativo chamado "The Gilis" que traz essa e outras informações sobre as ilhas.

The Gillis

Onde se hospedar em Gili Islands


Escolher onde se hospedar nas Gilis está diretamente ligado ao seu interesse nas ilhas.

Como já disse, Trawagan é a ilha mais desenvolvida e por isso a mais movimentada também. É possível ter todo tipo de experiência de hospedagem por aqui: hotel de luxo, pé-de-chinelo, hostel animado e opções simples e sossegadas.

O lado do porto é o mais movimentado, com todo o comércio e facilidades - bom pra quem não abre mão de ficar perto do movimento noturno. O outro lado da ilha, do lado do pôr do sol, é bem mais calmo e tranquilo e é a pedida perfeita pra quem procura sossego.

Pra quem optar pelo lado do movimento, é preciso ficar atento à localização da mesquita, que começa a convocar o pessoal pra rezar às 5h da manhã através de alto-falantes. Fique esperto também com o barulho das boates. Leia as avaliações do hotel pra saber se tem reclamação desse tipo.

Pra ficar do lado do sossego é bom saber que é um pouco distante do centrinho. De bike eu levava uns 20 minutos de um lado ao outro da ilha e à noite os caminhos são bem escuros, tem que usar lanterna.

Gili Air conta com ótimas opções de hospedagem também. No entanto essa é a ilha pra quem quer sossego. O centrinho da ilha é bem tímido, com alguns bares e restaurantes mas há pouca vida noturna.

Gili Meno é pra quem quer sossego total mesmo! A ilha tem algumas boas opções de hospedagem mas é totalmente parada à noite.

Booking.com




A minha hospedagem


Eu escolhi ficar em Trawagan porque gosto de fica no lugar movimentado, com facilidades e opções de entretenimento. Além do mais preciso confessar uma coisa: eu estava morrendo de medo de terremoto/tsunami e Trawagan é a única ilha que tem um morrinho! #mejulguem 😂😂 Escolhida a ilha, era hora de escolher o hotel.

Escolhi ficar no Manta Dive Resort, que fica no centro, bem pertinho do porto, pois não queria ficar na missão de procurar hotel e carregar mala pesada depois de uma viagem de barco de 3h.

O hotel, apesar de estar bem na muvuca e bem próximo do Sama Sama Bar (uma das boates de lá), é super silencioso. Os quartos ficam mais pro fundo e eu não ouvi barulho do bar nenhum dia.

Aliás, o quarto era ótimo, com espaço na media certa, super limpo, cortinas blackout e um banheiro lindo. O ar condicionado fica ligado full time, o que é perfeito para o calor que faz lá.

O ponto fraco é o café, que além de ser estilo continental daqueles bem pobrezinhos, tem um serviço super lento. Melhor reservar sem café e procurar outro local pra tomar um café melhor.

E o hotel em si é bem bacaninha. Tem um bar na frente que sempre fica bastante movimentado com uma galera bonita e descolada. O clima é sempre agradável. E a localização é perfeita, pois está perto de todo o movimento de Trawagan.

Se você quiser dar uma olhada nesse hotel em que me hospedei, clique aqui. Mas se quiser dar uma olhada em outros hotéis da ilha, consulte aqui. Mas lembre-se sempre de ficar atento às avaliações, ok? 😉


O que fazer em Gili Islands


As Gilis são aquele destino de praia perfeito que a gente procura na Ásia: praias paradisíacas, mar quentinho e calmo, vida marinha abundante e precinhos camaradas. 😁 De bônus, pra quem gosta, tem a vida noturna super agitada de Trawagan com muito bares e boates que funcionam até altas horas.

Praias paradisíacas
Gente, eu sempre quis achar uma dessas! 
Então o esquema basicamente é esse. Curtir uma praia de dia e de noite tem a opção de badalar ou ficar sossegado.

Passeio de bike


Esse é o passeio mais tradicional das Gilis, que é dar uma volta na ilha de bike. É super legal e eu recomendo. Em todas as três ilhas é possível alugar bike e dar um rolé. Dependendo da maré, se estiver alta, em alguns trechos pode ser preciso descer da bike e empurrar um pouquinho.

Programa obrigatório
No geral as bikes são meio zoadas, então sempre teste bem antes de sair pedalando.

Conselho de amiga: pegue o contato do zap de quem te alugou a bike. Aconteceu comigo da corrente estourar do outro lado da ilha e eu não tinha o contato do cara. Conclusão, tive que ir num hotel e pedir ajuda pros funcionários.

Eu vi umas bikes amarelas novinhas, lindas, de uma empresa chamada Ofo. Fui pesquisar depois e vi que é uma empresa chinesa de aluguel de bike, que por incrível que pareça, tem em Gili. Vale a pena baixar o aplicativo e ver como funciona, pois as bikes deles são ótimas.

Passeio de barco


Outro passeio comum lá é o de barco, que eles chamam de snorkeling trip. Pode ser contratado nas versões de 2h ou 4h, em grupo ou barco privado. Eu preferi fazer o barco privado por 4h e custou IDR 900k, aproximadamente US$70. Eu achei que valeu a pena porque a gente fez o nosso estilo de passeio e nos principais pontos de mergulho quando estavam cheios, o barqueiro sugeria a gente passar em outro momento que estivesse com menos gente. E deu super certo.

Começamos com um snorkeling próximo de Gili Meno que eu achei bem fraquinho, até dispensaria. Depois seguimos para o Turtle Point, próximo de Meno também, onde foi possível ver e nadar junto com tartarugas gigantes! Além disso a cor do mar era tão incrível, que foi um momento único da viagem. Só por isso o passeio já valeu a pena.

Coisa mais linda da vida!
Depois pedi para o barqueiro nos levar em Gili Air pra dar uma caminhada e conhecer um pouquinho. O tempo é curto e fica meio corrido, não dá pra ver muita coisa, mas valeu a pena também.

Seguimos para Meno, onde ele parou num bar muito bacana. A gente ficou um tempão lá tomando cerveja e trocando ideia com a galera local naquele cenário paradisíaco que eu passaria um dia inteiro nesse lugar de tão alto astral que foi.

Logo na frente desse bar super legal, fica o ponto de mergulho mais conhecido da região, a Underwater Statue, que sempre fica cheia de gente mas quando a gente foi (mais pro meio da tarde) não tinha mais ninguém (ponto pro barqueiro que deu a dica). Fiz um último mergulho e segui para Trawagan.

Olha eu ali gente!


Visitar as outras ilhas


É super viável e válido visitar as outras ilhas. As ilhas são bem próximas uma das outras e tem barco saindo a todo momento. Estando hospedado em qualquer uma delas, procure no porto local os barcos que fazem essa travessia.

Sossego total em Gili Meno
Recomendo reservar pelo menos metade de um dia pra conhecer cada uma e conhecer uma a cada dia pra não ficar atropelado demais e não perder o horário do pôr do sol de Trawagan. Cada uma tem um perfil e estrutura bem diferentes. Vale a pena alugar uma bike pra otimizar o deslocamento pela ilha.

Noite


A noite de Gili Trawagan merece atenção. Pra quem curte uma bagunça boa, galera jovem, bebida barata (muitas vezes até de graça) esse é o lugar.

São várias boates e todas abrem todos os dias, mas apenas uma fica aberta até tarde da noite a cada dia. E daí conforme as outras vão fechando, o pessoal vai migrando para a noitada do dia. As entradas são gratuitas e geralmente tem bebida grátis ou alguma promoção de compre uma e leve três que sempre favorece quem quer ficar loucão. E pode acreditar que a galera fica beem louca mesmo! 😆

Eu confesso que não sou mais a baladeira de outros tempos, mas acho legal ver o movimento e curtir um pouquinho também. Então, todos os dias eu saí a noite e me diverti horrores vendo a galera muito louca perdendo a linha.

Além das baladas, há vários barzinhos super charmosos com música ao vivo, ideal pra curtir uma vibe mais sossegada.

Olha que ambiente legal na beira da praia!
Pra quem quer uma experiência gastronômica bem local, vale visitar o Night Market, que são barraquinhas de comida típica e frutos do mar que só funcionam à noite. O esquema é bem simples e informal. Você escolhe o que vai pra brasa e os acompanhamentos. O preço é camarada e a experiência única. Eu confesso que fui lá todos os dias.

Primeiro escolhe o jantar - coragem! 

Depois senta pra jantar - eu sentava na praia mesmo  - um luxo!
Reparem na fumaceira dentro da barraca, kkk


Pôr do sol em Gili Trawagan


Uma das coisas mais legais pra se fazer nas Gilis é assistir o pôr do sol em um dos balanços de Gili Trawagan. O visual do fim do dia com o Monte Agung ao fundo, que na verdade é um vulcão ativo, é uma das coisas mais lindas que já vi na vida.

Momentos inesquecíveis

Dicas Gerais


Apesar da religião predominante em Gili ser o islamismo, é bom ficar atento aos feriados hindus, caso você planeje alguma travessia marítima nesses dias. São eles o Dia do Silêncio (Nyepi - geralmente em março) e o Dia do Oceano Silencioso (Nyepi Laut - geralmente em setembro).

Uma coisa curiosa que vivenciei em Gili. Quando se está em casal e se pede uma unidade de alguma coisa (uma cerveja, um suco, um prato, qualquer coisa) eles trazem dois. Isso aconteceu com a gente várias vezes e era muito engraçado porque eles achavam estranho quando a gente explicava que um era pra uma pessoa só! Portanto, fique ligado quando fizer os seus pedidos por lá! 😅

Outro fato engraçado de Gili é a oferta de cogumelos alucinógenos. Sim, todo mundo oferece o tempo todo! E é engraçado porque você pode estar no meio do nada e ver um indonésio atrás de uma árvore. Quando você passar perto ele vai falar a palavra mágica: mushroom? Vai comprar uma cerveja e junto com o troco vem a oferta de novo! 😅 E foi assim durante os três dias que fiquei por lá. Fato é que pra ter tanta oferta, certamente tem muita procura né? Nada contra, cada um na sua vibe.

O câmbio tinha os mesmos valores de Bali. Então pode deixar pra trocar dinheiro lá sem problema.

Informação importante: vários sites e sistemas de bancos brasileiros estavam bloqueados quando tentei acessar por lá. Por exemplo, deixei pra pagar uma conta no Itaú e simplesmente o aplicativo não abria. Bem provável que exista algum bloqueio de geolocalização, o que não aconteceu em Bali, onde eu acessei normalmente. Portanto, programe-se e não deixe a conta pra última hora que nem eu.


Leia mais sobre a Indonésia

Onde se hospedar em Bali
O que fazer em Bali

Nenhum comentário

Postar um comentário