in

O que fazer em Santiago, no Chile

- - Nenhum comentário
Trocando praia por praça em 3, 2, 1..
Quem é leitor aqui do blog sabe que destinos urbanos não são minha especialidade. Sou daquelas que quando pensa em férias, tem em mente sol, praia e mar. Mas em alguns momentos, para atingir alguns objetivos, acabamos por dar uma passadinha em grandes cidades, não tem muito como evitar.

O Chile é um país incrível, cheio de destinos surpreendentes e toda viagem pelo país começa quase que obrigatoriamente pela sua capital, Santiago. E se você é fã incondicional de praia, assim como eu, vai ver que dá pra sobreviver em Santiago por uns dois ou três dias. 😀

Aqui nesse post vou dar umas dicas do que fazer em Santiago e região.

Walking tour pelo Centro de Santiago


Esse é um daqueles programas quase que obrigatórios de Santiago. Eu particularmente acho chatérrimo, mas já fiz duas vezes! 😂

O esquema aqui é andar pelo centrão de Santiago e conhecer lugares como a Plaza de Armas, o Paseo Bandera, museus, palácios e outros prédios históricos. 

Plaza de Armas
Paseo Bandera
Uma parada desse tour bem tradicional é o Mercado Central, que nada mais é do que o mercado de peixes deles. É bem fedido, como qualquer outro mercado de peixe e tem uns caras chatérrimos que ficam insistindo para que você entre no restaurantes deles.

Mercado Central
Uma outra atração é a troca de guarda do Palácio La Moneda, que acontece desde 1851. Parece uma parada de 7 de Setembro, com militares, bandas e tal. Começa interessante mas depois, como demora um pouquinho, vai ficando chato (leva uns quarenta minutos). O local costuma ficar bem cheio, então para pegar um bom lugar, a boa é chegar uns 15 minutos antes do início.

O que eu mais gostei de ver foram os cachorros de rua de Santiago, que são lindos, e que aqui tem passe livre pra passar no meio da cerimônia.
 
Troca da guarda
Prefiro os cachorros, sempre!
O evento acontece em dias alternados, às 10h em dias de semana e 11h nos finais de semana.

Todas as atrações do centro da cidade são próximas e podem ser conhecidas a pé.

Cerro Santa Lucia


Ali pertinho do Centro (também dá pra ir a pé), fica um dos dois cerros mais famosos de Santiago, o Cerro Santa Lucia.

O cerro, tem uma vista interessante da cidade e uma construção antiga bem grandiosa em sua entrada, que é gratuita. Pra quem já está ali na região, vale a pena dar uma conferida.

Cerro Santa Lucia
Do outro lado da rua fica a Feria Artesanal Santa Lucia, um pequeno mercado de artesanato mas bem interessante pra comprar souvenirs da cidade. Especialmente por que aqui, diferente do Mercado Central, os vendedores não são insistentes e deixam os turistas bem à vontade. E os preços também são bem mais interessantes.

Pra atravessar a grande avenida que separa o Cerro da feirinha, utilize a estação de metrô Santa Lucia para cortar caminho.

Cerro San Cristóbal


O outro cerro famoso da cidade é o San Cristóbal. Bem maior do que o Santa Lucia, além de ponto turístico é também muito utilizado pela população local para a prática de esportes como a caminhada a pé ou de bike.

Pra subir até seu topo a caminhada é longa e dá uma canseira boa. Uma opção é subir de funicular, uma espécie de plano inclinado, que funciona desde o início do século passado. Horários e preços podem ser consultados aqui e esteja preparado para pegar uma boa fila. O "carrinho" funciona com intervalos de sete minutos.

Eu confesso que na hora "H" me deu medinho de andar naquele treco: um caixote de madeira que é puxado morro acima por um cabo de aço. Mas depois que estava lá dentro, já era né? Se servir de consolo, a descida é pior! 😂

Caixote morro acima
Pra compensar a vista lá de cima é bem bacana. Mas para uma melhor experiência, prefira ir em dias de céu claro e com pouca poluição, pra ter uma boa vista da cordilheira. Geralmente um dia depois da chuva é o ideal.

Com a poluição a vista fica assim
Pra continuar o passeio, vale ainda pegar o teleférico, que percorre 4km do Parque Metropolitano com uma vista privilegiada da cidade. Para valores e maiores informações, clique aqui.

Rolézinho style!

Nos arredores de Santiago


Os programas que mais me animam em Santiago ficam nos arredores da cidade e são perfeitamente feitos em um dia ou até meio. Vai por mim, são os mais interessantes.

Vinícolas


Que o vinho é uma especialidade do Chile, isso todo mundo sabe. Fazer um passeio até uma das vinícolas chilenas é programa obrigatório! 

Se você não é entendedor profundo do assunto, considere fazer um tour pelas mais tradicionais que são a Concha y Toro e a Undurraga. O mais legal é que o acesso até elas é super simples e dá pra ir por conta própria, de metrô. 

Pra quem for entendido do assunto, o Chile tem mais de duzentas vinícolas abertas à visitação. Dá pra escolher um tour mais personalizado também, de acordo com suas preferências.

Por hora vamos de Concha y Toro mesmo, que pra simples consumidores como eu, foi um tour super bacana. Começa com o guia levando o grupo pra dar uma volta na propriedade e contando um pouco da história da vinícola.

Entrada da vinícola

A casa do fundador da vinícola - só por fora
A matéria prima
Aí vem a parte da degustação de vinhos, começando pelos vinhos brancos. Depois o grupo é levado para as adegas e o guia segue explicando tudo sobre temperatura, madeira do barril, mais um monte de informações pertinentes à produção do vinho.

Por fim, o guia leva o grupo para o subsolo, numa espécie de calabouço. As portas se fecham e as luzes se apagam, aí vem uma voz assustadora contar a história do vinho Casillero del Diablo. No fundo, tem umas portinhas com uma luz vermelha. Dizem que no fim da apresentação a sombra del Diablo aparece ali. Mas quando fui o local estava em reforma e eu não vi o tal do Diablo, mas mesmo assim foi muito divertido. No final mais uma degustação de vinhos, agora os tintos e a taça personalizada da vinícola fica de brinde.

Bodegas
Imagina a sombra do diablo lá no fundo?
O tour termina na loja da vinícola, onde tem um monte de coisas bacanas pra comprar desde os vinhos que acabamos de degustar, até acessórios para bebida com a marca da vinícola. Comprei várias coisinhas super legais.

Valparaíso e Viña del Mar


Esse é o passeio pra conhecer o litoral do Chile. Pra quem nunca molhou os pés no Pacífico é uma boa oportunidade. Mas já vou logo avisando: vá com a expectativa na medida certa para não se decepcionar. As cidades são meio feiosas e o mar também não anima muito (além da água ser super gelada).

O litoral fica a 1:30h de viagem de Santiago. Dá pra fazer um passeio de um dia e conhecer as duas cidades, que são vizinhas.

Valparaíso é uma cidade portuária situada numa encosta. Existe um bairro histórico, onde vivem vários artistas (tipo Santa Teresa aqui do Rio), além de ficar localizada também uma das casas de Pablo Neruda, que hoje funciona como um museu. 

Por mais que tentem "glamorizar" o lugar pra mim não teve jeito, achei a cidade horrorosa.

Valparaíso
Já Viña del Mar é um pouco mais agradável. É a cidade que funciona como balneário para os santiaguinos. Tem cassino, relógio de flores (onde todo mundo tira uma foto) e o Museo Fonck, onde é possível ver um dos dois únicos moais retirados da Ilha de Páscoa. O outro está na Inglaterra, que reza a lenda, foi roubado pelos ingleses na época da colonização da ilha - safadinhos!

Mar, pra quem é de praia
Cassino, pra quem é do jogo
Essa vai pra quem sonha conhecer a Ilha de Páscoa! 🙋

Estações de esqui


As estações de esqui são uma das atrações mais famosas de Santiago. No entanto, para ver neve, tem que visitar a cidade no inverno. Por mais que do avião você veja neve nos picos da Cordilheira dos Andes, as estações ficam bem mais abaixo e por isso, só possuem neve na temporada.

As estações mais próximas de Santiago são: Farellones, Valle Nevado, La Parva e El Colorado.

Esse ano eu dei sorte e fui em Santiago no mês de agosto, no auge da temporada. Aproveitei pra passar um dia no Valle Nevado e finalmente conhecer a neve (eu nunca tinha visto).

Valle Nevado
Pra passar todas as informações e postar muitas fotos, escrevi um outro post - Passeio de um dia para o Valle Nevado (em breve). Não deixe de conferir!

Represa (embase) El Yeso 


Esse é um dos programas que ainda não fiz em Santiago, mas está super na minha lista. Essa é a represa que abastece Santiago e possui um visual lindão com vista dos picos nevados.

A uma hora de distância de Santiago, o passeio pode ser feito em qualquer estação do ano, sendo que no inverno a represa fica cheia de neve e rola uma caminhada meio penosa. Por isso estou esperando a oportunidade para conhecer quando estiver na cidade no verão.

Embase El Yeso (fonte: www.visitchile.com)

A ida à represa é combinada com um passeio pelo Cajón del Maipo, que é a região do Vale do Rio Maipo, onde fica a represa. É um passeio de dia inteiro e pode ser feito com as agências locais ou por conta própria. Nessa última opção, o passeio precisa ser feito no verão e em carro com tração.

Dicas Gerais


Como eu disse acima, Santiago é um destino urbano, e como tal, os programas na cidade em si são meio chatinhos, na minha opinião. Bacana, são os passeios ao redor da cidade. 

Esteja preparado para caminhar muito. Leve sapatos confortáveis.

Santiago está a 570m acima do nível do mar, aos pés da Cordilheira dos Andes. No verão esteja preparado para temperaturas amenas de manhã cedo e calorão durante o dia. No inverno é frio, mas é raro nevar. Procure levar roupas adequadas à estação.

Em qualquer programa, procure beber bastante água. A região é muito seca.

Santiago é no geral uma cidade tranquila. Claro que como qualquer cidade grande tem lá seus problemas com violência, mas nem se compara com o Brasil. Caminhe tranquilo e evite manusear dinheiro e objetos de valor na rua, tenha cuidado com bolsas e bolsos em lugares de grande concentração e evite lugares escuros e desertos durante à noite. São precauções básicas para qualquer lugar do mundo.

Mais informações sobre o Chile
Dicas de viagem para Santiago
 
Um dia no Valle Nevado 
Dicas de viagem para Ilha de Páscoa 
O que fazer na Ilha de Páscoa 

Nenhum comentário

Postar um comentário