in

Maldivas no estilo econômico - vale a pena se hospedar numa ilha local?

- - Nenhum comentário
Uma outra realidade logo ali
Se você pensou que Maldivas é destino só pra gente rica, se enganou! Existe Maldivas para todos os tipos de bolsos.

Desde 2009 as ilhas comuns, habitadas apenas pela população local, foram autorizadas a abrirem pequenas pousadas para receber turistas estrangeiros. Com isso surgiram opções de hospedagem mais simples e econômicas que certamente viabiliza a viagem pra quem tem um orçamento mais curto. Nesse esquema, tudo é mais barato: hospedagens, passeios e refeições. Sem contar também que hospedar-se numa ilha local proporciona ao turista uma experiência muito mais original sobre a cultura maldiva, sem a superprodução dos resorts.

Mas será que vale a pena? Pra responder essa pergunta é preciso saber que no estilo econômico nas Maldivas rola umas pegadinhas. Como o país é muçulmano e super conservador, nessas ilhas os costumes religiosos são seguidos à risca e apesar de serem um pouco mais tolerantes à cultura ocidental, é preciso seguir algumas regrinhas locais.

Tem regra pra tudo!
Na minha viagem às Maldivas eu me hospedei num resort, o Meeru Island. Bem pertinho dele há uma ilha habitada pela população local chamada Dhiffushi, que tem algumas opções de hospedagem. O meu hotel oferecia um passeio para conhecê-la e não pensei duas vezes em dar um pulo lá pra saber como é a vida dos moradores locais.

Por isso vou contar aqui a minha impressão sobre o vi por lá. Não é exatamente um recomendação, do tipo faça assim ou não faça. Só quero registrar a minha percepção dessa outra modalidade de hospedagem nas Maldivas para te ajudar a refletir se essa opção tem o seu perfil ou não.

Os hotéis


Nas ilhas locais espere encontrar todo tipo de hospedagem: estilo bem simples (pé-de-chinelo) até hotéis bem bacaninhas mesmo, todo moderninho, confortável e com uma decoração legal.

Os preços também vão variar bastante mas no geral sempre são mais em conta do que se hospedar num resort. Se o motivo da sua escolha for exclusivamente econômico, ainda assim não deixe de pesquisar os resorts pois dependendo da época do ano pode rolar promoções convidativas, afinal a concorrência na região é grande.

Agora se o motivo de escolher a hospedagem numa ilha local for apenas cultural, querendo mesmo conhecer como é a vida original das Maldivas, aí pesquise mesmo só opções nessas ilhas.

Algumas das ilhas locais mais tradicionais para hospedagem e que possuem fácil aceso de barco são: Maafushi, Fulidhoo, Guraidhoo e Dhiffushi.


Booking.com


Praia


Nessas ilhas haverá uma praia específica onde é permitido usar roupas de banho normal para os nossos costumes - a bikini beach. Ou seja, enquanto estiver hospedado naquela ilha, só poderá frequentar aquela faixa de areia determinada. Nas demais praias da ilha, banho só com roupa.

Praia bonita vai ter!
A minha percepção foi meio claustrofóbica. Imagina uma ilha inteira de praia paradisíaca e você só poder mergulhar ali naqueles poucos metros delimitados? Achei meio chato..

Mas vai ser só um pequeno trecho da ilha
A saída pra não entediar é preencher o dia com passeios. Geralmente as opções passam por aluguel de SUP e caiaque, visitas à outras ilhas, mergulho e snorkel em algum spot.

Também é possível pegar um day-use em algum resort próximo da ilha. Essa é uma maneira de ver o lado ryco das Maldivas sem falir. Neste caso os preços costumam variar entre US$80 e US$150 a diária por pessoa (vai depender do que é oferecido no pacote).

Alguns resorts que oferecem day-use: Adaaran Prestige VadooFihalhohi IslandRihiveliCentara Ras FushiAnantaraOlhuveliHoliday Inn e muitos outros. Tudo vai depender da distância da ilha na qual você estiver hospedado.

Como se vestir


Outro ponto a se observar são as roupas usadas durante a estadia numa ilha local. Ao circular pela ilha é bom evitar roupas muito decotadas ou que deixem o corpo muito à mostra. É uma atitude que demonstra respeito pela cultura local.

Normal é se vestir assim
Na minha visita à Dhiffushi, o hotel estava bem cuidadoso com as roupas que as mulheres estavam vestindo e orientando todas nós sobre comprimento da saia, cobrir os ombros e tal. Só que estava um calor absurdo e quando comecei a caminhar pela ilha, me deu logo um siricutico por estar toda coberta.. Juro, tive que correr pra tal bikini beach local, dar um mergulho pra voltar a respirar! Achei bem doido esse lance da roupa..

Porém observando os turistas que estavam hospedados na ilha, vi o pessoal bem mais relax. As mulheres estavam usando vestidos não muito curtos, blusas de alcinha etc. Homens não vi nenhum sem camisa. Então não sei se foi um pouco neurose do nosso hotel ou se a galera lá é que tava desrespeitando os costumes locais na cara de pau.

O fato é que você fica apreensivo, sem saber se de alguma forma está fora da regra local e acaba não se sentindo muito à vontade, até porque os moradores locais ficam te observando dos pés à cabeça.

Bebidas Alcoólicas


Se você é daqueles (como eu) que quando pensam em praia e calor já associam logo àquela cervejinha gelada, hospedar-se numa ilha local pode ser meio frustante.

A venda de bebidas alcoólicas nas Maldivas é terminantemente proibida. No dia da minha visita à Dhiffushi, cheguei a perguntar em um barzinho, bem moderninho até, se vendia cerveja, mas o atendente riu e falou que não, só serviam suco. Daí fiquei pensando que pra mim, um lugar desse já não funcionaria de jeito nenhum! 😂

Soube que em algumas ilhas, na frente da bikini beach, há um barco maior ancorado a alguns metros da praia, onde é permitida a venda de bebida, pois a venda não estaria sendo feita "em terra".. aham, sei! E daí barquinhos menores são responsáveis pelo transfer. É uma boa ideia até mas na ilha que visitei, por exemplo, não tinha o tal barco não.

O visual da ilha 


As Maldivas de verdade é bem diferente da superprodução das ilhas resorts. A população local tem poucos recursos e as ilhas geralmente refletem o padrão de vida deles.

Tirando a praia e o mar, que claro, são incríveis em qualquer ilha das Maldivas, no geral o visual não é bonito. As ruas são estreitas, as casas bem feinhas e apertadas e na ilha que visitei tinha muita coisa em ruína, meio abandonado.

Pelas ruas de Dhiffushi
Geralmente a construção mais imponente da ilha é a mesquita. Os hotéis também são construções novas e costumam ser bem arrumadinhos. Mas o visual das casas dos locais, é bem caidinho

Não estou querendo menosprezar o fato deles serem humildes não, nem acho que este detalhe invalide a visita, mas é bom você saber como é o estilo local para ir com a expectativa na medida certa.

Conclusão


Pra quem sonha conhecer as Maldivas mas tem um orçamento curto, hospedar-se numa ilha local sem dúvida viabiliza o sonho de muita gente. Só acho importante que a escolha seja feita consciente de todas as restrições impostas pelos costumes locais.

Pra mim, pessoalmente, esse esquema teria sido muito frustante pois detesto estar em um lugar cheio de restrições, principalmente nas férias dos meus sonhos, quando a intenção é relaxar e curtir e não ficar tensa se meu joelho está aparecendo ou morrer abafada porque não posso andar de biquíni debaixo daquele calor sufocante, sem nem tomar uma cervejinha gelada pra descontrair e pior, sem poder dar uma bitoca no maridón.. 😁 Ainda bem que pra mim foi só uma visita rápida de poucas horinhas, rs.

Num resort, por mais que a experiência não seja original culturalmente falando, você tem total liberdade pra dar um mergulho onde quiser, andar com a roupa que se sentir à vontade, se for das biritas, pode beber sem preocupação e ainda pode dar beijinho na sua companhia sem ser preso por comportamento indecente. Isso sim é férias no paraíso - sem medo de ser feliz!

Então como eu disse, pra mim não funcionaria. Mas funciona para várias outras pessoas que foram nesse estilo e curtiram muito. A boa, nesse caso, é preencher o dia com passeios ou day-use nos resorts próximos, assim você fará programas diferentes e não ficará preso só naquele esquema engessado da ilha.

Acho que a chave pro sucesso pras Maldivas no estilo econômico é ir com a expectativa na medida certa, que aí não correrá o risco de se decepcionar.



Nenhum comentário

Postar um comentário