in

Dicas de viagem para Negril, Jamaica

- - Nenhum comentário
Um lugar para se apaixonar!
Quando eu apenas sonhava em conhecer a Jamaica, sempre me imaginava numa praia paradisíaca com muito sol, águas claras e clima descontraído.

Negril, que tem a fama justa de cidade festeira, é exatamente tudo aquilo que eu imaginava da Jamaica: alegria, curtição, praia caribenha e muito reggae por todos os lugares. Pois bem, pedido feito e atendido! Negril tem aquela vibe jamaicana que eu sempre quis curtir!

Me arrisco até em resumir a introdução de Negril em apenas uma frase: é o lugar mais legal de toda a Jamaica!😍

Então, vamos conhecer mais esse destino super bacana comigo?

A minha viagem


Negril foi o meu último destino na Jamaica. E acredite, foi proposital deixar o melhor lugar pro final!

O meu tempo de permanência na cidade foi de dois dias e meio e como eu pretendia ficar por ali mesmo, só relaxando na praia, o tempo foi suficiente. Mas na real? Se pudesse passava uma semana inteira em Negril!

Melhor época para visitar para Negril


Na Jamaica, assim como nos demais países que ficam na região do Caribe, faz calor durante todo o ano e possui basicamente duas estações: o inverno e o verão.

A estação seca é no inverno, que vai de dezembro a abril: chove pouco e as temperaturas são mais amenas. É nessa época também que rola a alta temporada, quando o povo todo lá de cima foge do frio intenso do inverno em busca de dias ensolarados no Caribe.
Entre junho e novembro, considerado o verão de lá, é um período quente, úmido e com maior probabilidade de chuvas. Lembrando que a Jamaica está bem no meio da zona de furacões do Caribe e sempre rola aquele risco né? Mas viajar nessa época não quer dizer que você vai topar com um furacão! Eu já fui pro Caribe em setembro e nem sinal de furacão por lá! A vantagem dessa época é que por ser baixa temporada os preços dos hotéis despencam. Mas já que existe esse risco, é melhor evitar.

Procure evitar também ir em períodos festivos no país como Carnaval e Semana Santa (que pra eles é o feriado mais importante do ano). Ah, podendo evitar a semana do Spring Break americano (que varia todos os anos entre fevereiro e março) também é uma boa. Chegar no hotel e encontrar aquela turma de adolescentes americanos tocando o terror também não é legal.

Estive em Negril no finalzinho de de fevereiro e peguei dias de muito sol e calor. O clima estava perfeito! 

Como chegar em Negril


Não há voos diretos entre Brasil e Jamaica. Será necessário fazer uma escala no Panamá, via Copa Airlines ou nos Estados Unidos, com as companhias americanas Delta ou American Airlines. Nesse último caso, é sempre válido lembrar que é preciso ter visto americano.

Principais destinos turísticos na Jamaica
Negril fica a 80km de Montego Bay, logo esse é o aeroporto mais próximo. Entre as duas cidades espere gastar uma hora e meia de viagem e o transfer pode ser feito de táxi, carro alugado, transfers particulares ou os route taxis. Já comentei sobre todos os meios de transporte da Jamaica no post principal - Montando o roteiro de viagem para a Jamaica.

Como se locomover em Negril


Para se locomover em Negril o carro é totalmente dispensável já que a programação principal é circular pela praia e isso é feito a pé. Quando se precisa ir a algum lugar mais distante, como os cliffs por exemplo, basta pegar um táxi na estrada principal ou combinar um transfer no hotel.

A boa em Negril é caminhar pela praia
Carro seria necessário somente pra chegar e sair de Negril ou ainda pra visitar alguma atração fora da cidade.

Onde se hospedar em Negril


Escolher um hotel honesto (que seja bom, limpinho e com preço justo) na Jamaica nem sempre é missão fácil. No geral os hotéis simples são bem fraquinhos e geralmente os preços são altos pelo que oferecem.

Se o seu orçamento é honesto como o meu, pesquise bastante pra encontrar acomodações bem localizadas e sem nenhuma pegadinha, leia o máximo de avaliações possíveis. Agora se orçamento não é o seu problema (amém 🙌) escolha um dos resorts super luxuosos localizados na cidade.

Falando resumidamente, a hospedagem em Negril é basicamente dividida em três áreas: a praia (os hotéis pé-na-areia), os fundos da praia (do outro lado da estrada) e os cliffs. Mas tem pegadinha aí..

Escrevi um super post explicando como funciona a hospedagem na Jamaica e contado em detalhes as minhas experiências - Onde se hospedar na Jamaica.

Mas se você não aguenta de curiosidade, já te conto de antemão que em Negril me hospedei no White Sands e adorei! Pra dar uma pesquisar na disponibilidade dele, clique aqui. Aproveite e veja também as outras opções disponíveis em Negril, clicando aqui para você decidir qual hotel melhor se encaixa no seu perfil.

http://www.booking.com/searchresults.html?city=-3752961&aid=1256661&no_rooms=1&group_adults=1

O que fazer em Negril


Negril é um dos principais destinos turísticos da país. Aqui a programação é basicamente curtir uma praia paradisíaca, alguns passeios e muito reggae! Afinal de contas, estamos falando de Jamaica né?

Seven Mile Beach

Essa é a praia principal de Negril. Ela é bem extensa (possui 11km) e nela ficam concentrados os principais hotéis, restaurantes, bares de praia e showzinhos de reggae. E o mais legal é que é tudo pé na areia. Um lugar com uma vibe indescritível!

Seven Mile Beach
E assim são os dias em Negril
O acesso à praia geralmente é feito através do próprio hotel, pois quase todos tem acesso direto à praia. Mas se o seu não tiver, não se preocupe. Basta acessar a praia através dos quiosques, que são muitos, e não possuem restrição de entrada/saída.

Por ser muito extensa, notei que a praia possui algumas "zonas". Bem no início ficam os grandes resorts. Mais pro meio já rola um mix de hotéis e quiosques de praia (na minha opinião, o melhor trecho). Já pro final tem menos movimento e me pareceu ser mais local.

No início, antes da área dos resorts, há um trecho de praia conhecido como Long Bay. Mas no final das contas é a mesma praia, porém em um trecho sem construções, que pertence a um parque público com estacionamento gratuito. Pra quem quiser ficar num visual menos poluído de construções, vale a pena caminhada até lá.

Long Bay
Mas mesmo sendo um trecho de praia mais roots, não pense que lá conseguirá fugir dos ambulantes. Eles irão trás de você de qualquer jeito! 😁

Ainda nesse trecho da praia tem um parque chamado Kool Runnings Adventure Park, que conta com tobogãs, kart, paintball e mais um monte de brincadeiras. Pra quem curte ou viaja com crianças, pode ser uma boa. Informações aqui.

Para assistir o pôr do sol qualquer ponto da praia é perfeito pois nessa região o sol se põe no mar. Só sentar e aproveitar o momento, de preferência tomando uma Red Stripe geladinha.

Pôr do sol mais que perfeito
Cliffs

Os cliffs são a outra parte da cidade, onde não há praia, somente os paredões rochosos. O mar nessa região também é incrível e com certeza vale muito a pena dar uma conferida por lá também. Dizem que a vida marinha perto das pedras é riquíssima e por isso o snorkel é um programa super recomendado.

Os famosos cliffs de Negril
O único porém é que o acesso aos cliffs no geral é meio complicado pois, assim como em toda a Jamaica, todos os terrenos à beira-mar são privados, então você só consegue entrar se estiver hospedado em um dos hotéis ou se for consumir em um de seus bares/restaurantes.

Na minha missão de encontrar um lugar para acessar os cliffs, entrei em um hotel que havia lido em algum outro blog que o pessoal deixava entrar de boa se fosse consumir, o Negril Escape. Porém quando cheguei lá não encontrei nenhum funcionário pra perguntar e saí entrando! rs. Fiquei lá um tempão sem ser incomodada (segurança esquisita essa aí né?) mas não tive coragem de entrar no mar pois estava meio mexido e não achei que fosse uma boa ideia nadar perto das pedras nessas condições.

Negril Escape
O hotel Rock House é o mais top nessa região e o que oferece a melhor estrutura. O seu restaurante é aberto ao público e funciona de 07h às 22h, do café ao jantar. Pra consultar o menu, dá uma olhada aqui.

Outros lugares potenciais pra acessar os cliffs são alguns restaurantes que tem por lá, como o Rick's Cafe, (abre às 12h - já falarei dele) e o Pushcart, que pertence ao hotel Rockhouse mas possui entrada separada com estacionamento gratuito para clientes (abre às 14h).

Rick's Cafe

O Rick's Cafe é quase uma entidade jamaicana, ponto de parada obrigatória pra quem visita Negril. Fundado em 1974 o local já foi totalmente destruído por dois furacões, mas sempre se recompõe e continua lá com o status de melhor pôr do sol da Jamaica.

A entrada é gratuita e ele fica localizado no finalzinho dos cliffs. Pra chegar lá só de carro, dá uns 15 minutos saindo de Seven Mile Beach. Há estacionamento gratuito, porém o espaço é bem pequeno e lota rápido. Eles oferecem o transfer de ida a partir do seu hotel gratuitamente e o de volta custa US$8 por pessoa.

Aqui além do pôr do sol outra tradição são os saltos dos cliffs, que são bem altos. Já não bastasse isso ser uma grande loucura, foram instaladas plataformas, mais altas ainda de onde pessoas totalmente desprovidas de sanidade saltam 😅. Se você tiver coragem, os saltos são liberados para qualquer um, mas faça por sua própria conta e risco. 

O trampolim dos doidos
A minha opinião sobre o lugar: eu não gostei. Fica lotado a ponto de você mal conseguir se movimentar, só ouvi música pop americana (eu fui pra Jamaica pra ouvir reggae!) e tocou até Macarena. E pra piorar a cerveja era cara demais! A Red Stripe que na praia custava US$2,50 lá custava US$6 😠 Tô fora!

Não tem lugar pra sentar!
Peguei meu carro e voltei correndo pra Seven Mile Beach, ver um pôr do sol lindo, sossegado, ouvindo um showzinho de reggae e tomando cerveja barata. Quer melhor do que isso na vida minha gente? 🙌

Passeios

Como de praxe em qualquer destino turístico, em Negril são oferecidos diversos passeios. Tudo muito fácil de se contratar, basta chegar na praia e levantar o braço que aparecem cinquenta vendedores. 😂😂. Os passeios que vi sendo comercializados por lá foram:

- Parasail: tipo um paraquedas guinchado pelo barco. Valor US$60.

- Glass Bottom: uma volta num barco adaptado com uma janela de vidro no chão pra ver o fundo do mar. Valor US$40.

Vários passeios na mesma foto
- Sunset Cruise: um rolé de barco no fim de tarde com comida / bebidas incluídos, parada para snorkel e no Rick's Cafe: Valor US$60.

- Island Picnic: uma visita à Booby Cay, uma ilhota que fica bem próxima da costa, no início de Seven Mile Beach. Inclui parada para snorkel e refeição. Valor US$70.

Nos arredores de Negril


Pra quem quiser dar uma esticada na programação, há outras atrações da região que podem ser visitadas tanto de carro como em tours organizados pelas agências locais ou se você for guerreirão, pode ir de route-táxi.

Half Moon Bay

É uma pequena praia privada que fica antes de Seven Mile Beach. A entrada custa US$5 e o atrativo maior aqui é um bar "pirata" conhecido como Calico Jacks Pirate Shack, que fica numa ilhota bem na frente da praia. A ida até lá custa mais US$5.

Half Moon Bay e a ilhota da frente
Fica a uns 15km de Negril, com acesso fácil pela estrada principal. Mais informações aqui.

YS Falls

Um complexo de cachoeiras que fica numa propriedade particular, tipo uma fazendinha, super bem organizado. A entrada custa US$20 por pessoa.

Bem simpático, não?
Fica a 84km de Negril, o que dá 1:30h de viagem (eu acho puxado). Se você já conheceu outras cachoeiras na Jamaica, pode pular essa aí. Mais informações, aqui.

Blue Hole Mineral Springs

O Blue Hole de Negril é literalmente um buracão que forma no seu fundo uma piscina de águas azuis e transparentes. A entrada custa US$15 por pessoa.

 É só um buraco azul, mesmo
Fica a 15km de Negril, o que dá uma meia hora de deslocamento. Não achei muita graça em ficar pulando no buraco, mas há quem goste.

Floyd's Pelican Bar

É um bar que fica a quase 2km mar a dentro, na costa sul da Jamaica. Imagina, ter que pegar um barco pra ir tomar uma cerveja no meio do mar caribenho? Coisas da Jamaica.. Dizem que o visual e a vibe desse bar é incrível.

Pelican Bar
Fica a 85km de distância de Negril, o que dá 1:30h de viagem. Apesar de distante, acho que vale a pena pela oportunidade também de explorar um pouco da costa sul do país, que quase não figura nos destinos turísticos do país.

Ao meu ver esse seria o programa mais interessante fora de Negril.

Dicas Gerais


A diferença de fuso para o Brasil é de duas horas a menos. Durante o horário de verão a diferença aumenta para três horas.

A voltagem é de 110v e as tomadas são de pino chato.

Em Negril há oferta de todos os tipos de restaurantes, então comer por lá é bem fácil. Eu acertei com um jerk baratinho (US$20 pra duas pessoas) e muito bom do lado do meu hotel chamado Best in the West. Estava sempre cheio de locais e turistas. No centro da cidade tem KFC e Burguer King.

O mercado da cidade é o Hi-Lo, que fica no centro. É grandinho até e se for preciso fazer compras básicas, ele atende super bem.

No geral o povo jamaicano é sempre receptivo e bem humorado. Eles tem sempre um sorriso no rosto, fazem uma brincadeira e adoram brasileiros. Me senti muito bem recebida. E em Negril achei o atendimento em geral mais bem preparado pra receber o turista do que nas outras regiões que visitei no país.

Esteja preparado para o assédio dos vendedores ambulantes que vão oferecer de tudo, e em Negril o assédio foi o mais constante de todos os lugares que visitei. Eu não sei se fui preparada para o pior, mas eu achei que foi até tranquilo.. Todo mundo vai te oferecer alguma coisa: passeio, artesanato, frutas, pulseira, trancinha no cabelo, ganja (na maior naturalidade), qualquer coisa. Eles sabem que turistas tem dinheiro e sempre vão querer ganhar algum troco. Mas no segundo "no, thank you" que eu dizia, eles desistiam e sumiam da minha frente (iam procurar outro trouxa, kkk). Alguns quando descobriam que éramos brasileiros, mesmo sabendo que não íamos comprar nada gostavam de trocar uma ideia, falar de futebol, carnaval, essas coisas que todo mundo associa ao Brasil. Então no geral, achei a experiência bem positiva.

Sobre a oferta de ganja, em Negril ela também é uma constante. Todo mundo te oferece o tempo todo! Se você não fuma, é só dizer o mesmo "no, thank you" do artesanato, do passeio etc. Eles desistem logo na sequência. Quando eu dizia não, alguns até me respondiam "respect", algo do tipo, "ok, eu te respeito". E acredite, essa palavra faz o maior sentido para eles. Vale a pena lembrar que a venda de maconha na Jamaica é proibida, porém o seu uso e porte de pequenas quantidades é tolerado por lei para fins religiosos. O que na prática quer dizer que o povo passa o dia inteiro rezando, kkkk!

Vendedor de ganja fazendo gracinha
Todo dia tem showzinho de reggae na praia no fim de tarde e à noite. Os lugares mais famosos são o Bourbon Beach e o Alfred's. Mas por incrível que pareça, o show mais legal (pra não dizer antológico) que assisti foi no Boat Bar, uma birosca minúscula que tinha show quase todo dia no fim de tarde. O show era meio no improviso, vários cantores locais muito roots, cantando clássicos do reggae além de composições próprias. Na plateia, além de turistas, tinha muita gente local se acabando de dançar. Foi de longe o reggae mais original que eu vi. Foi sensacional! Todos os lugares ficam em Seven Mile Beach, pé-na-areia.

É assim que rola a divulgação dos shows
Pra quem curte reggae, é bom ficar ligado que sempre rola uns shows dos caras grandes também, pena que só é divulgado localmente. Pra ter uma ideia, quando cheguei lá, tinha uns cartazes de um show que rolou dois dias antes de eu chegar com o Lee Scratch Perry e Yellow Man. Quase morri por ter perdido uma oportunidade dessas!

Sobre segurança, me senti muito segura andando por Negril. Na praia sempre tinha uns guardinhas passando, fazendo uma espécie de ronda, até de noite. Como o uso da maconha é "tolerado" no país, acho que a polícia nem liga mais pra isso pois vi várias pessoas fumando na frente deles e eles nem aí. Acredito que a função deles seria mesmo manter a ordem. O que nos disseram é que eles não costumam parar os turistas e que quando param, geralmente é pra pedir dinheiro (parece até com um lugar que eu conheço..). Fui para os showzinhos de reggae à noite, caminhando pela praia e ainda assim me senti segura. Voltava por volta de 23h super de boas, coisa que jamais faria aqui no Brasil.

**Data da viagem: fevereiro/2018

Para conferir mais fotos dessa trip no Instagram, clique aqui ou procure #reviajajamaica.

Mais sobre a viagem à Jamaica

Nenhum comentário

Postar um comentário