texto aqui Sobre a Autora E-mail Enviar Nome E-mail Mensagem Sobre mim página ##1## de ##2## Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez

Renata Maia

[name=Renata Maia] [img=https://imagensbrasil.org/images/2020/08/24/roteiro-jamaica-eu.jpg] [description=Compartilho aqui dicas e experiências sobre as viagens que faço mundo à fora. Apaixonada por destinos de praia, acredito que luxo mesmo é passar o dia de havaianas! Sejam bem-vindos à minha viagem! =)] (facebook=https://www.facebook.com/Renata-Viaja-312202229164679/) (instagram=https://www.instagram.com/renataviaja_/) (pinterest=https://br.pinterest.com/renataviaja/)

6/newsticker/News

4/bigslider1/Topo

404

Desculpe, está página não existe
Home

5/carousel3/Trips Epeciais

3/block2/Indonésia

9/carousel1/Hawai

Últimos Posts

Dicas de viagem para a Península de Maraú

2
Meu pedacinho de Bahia

Se você ainda não ouviu falar da Península de Maraú, você precisa conhecer esse pedacinho de Bahia o mais rápido possível!

A região possui a fórmula mágica de litoral quase intocado, praias paradisíacas, mar cristalino, e aquela maresia baiana irresistível. A Península de Maraú é daqueles lugares que fazem a gente balançar. Sabe, tipo largar tudo e ir vender coco na praia num lugar paradisíaco? É lá mesmo! 😂

A minha viagem


Minha história com a Península de Maraú começou em 2015 quando visitei a região pela primeira vez. Ali foi paixão à primeira vista e desde então já perdi a conta de quanta vezes eu voltei! 😁

Conhecendo a Península de Maraú


A Península de Maraú é um braço de terra que se estende por 50 km banhado de um lado pelo mar aberto e do outro pela Baía de Camamu, a terceira maior baía do país em volume de água.

O município sede é Maraú, que é uma cidade pequena sem muito apelo turístico. A graça está mesmo nos diversos povoados espalhados pelo litoral: Barra Grande, Taipu de Fora, Algodões, Saquaíra, Cassange entre outros.

Conhecendo um pouco da Península

Como chegar na Península de Maraú


Se prepare, pois chegar neste pedacinho de Bahia requer um pouco de planejamento e dedicação.

A Península de Maraú está localizada na região turística baiana conhecida como Costa do Dendê. O aeroporto mais próximo é o de Ilhéus a 150 km e o de Salvador fica um pouco mais distante, a 280 km via Itaparica.

Pra chegar na Península há duas opções: de carro pela BR-030 ou de barcos que saem da cidade de Camamu.

Localizando a Península de Maraú

De carro


A estrada que corta toda a Península é a BR-030, acessada pela BA-001, tanto pra quem vem de Ilhéus ou de Salvador. A BA-001 é asfaltada e toda ok. Já os 60 km da BR-030 é o ponto de polêmica desse tema, pois é estrada de terra. Você provavelmente vai ler por aí que é perrengue chegar lá de carro e eu vou ser bem sincera: não é tão ruim quanto dizem por aí.

Esse é o caminho pro paraíso

Eu sempre fui pra lá de carro normal, que alugo no aeroporto de Ilhéus. Se a região estiver num período seco, sem chuvas, é tranquilo. Vai chacoalhar um pouquinho, vai ter poeira mas vai chegar de boa. Se a prefeitura tiver passado a máquina recentemente na estrada, é zero perrengue (na alta temporada eles costumam caprichar). Agora quando chove direto a alguns dias é chatinho sim, não vou mentir: a estrada fica cheia de buracos e poças d'água e é preciso andar bem devagar e com cuidado pra não atolar em certos pontos.

Já peguei todas as condições acima e nunca deixei de chegar ou sair da Península. Continuando na pegada sincerona, se fosse no meu carro próprio eu pensaria duas vezes, porque dá uma moída legal. Agora carro de locadora, sabe como é né, rola um certo desapego 🙈 Pra saber as condições atuais da estrada, pergunte à pousada em que for se hospedar e acompanhe a previsão do tempo na região.

De barco


Pra quem prefere não "arriscar" a estrada de terra, a outra opção é pegar um barco na cidade de Camamu. A travessia é feita em lanchas rápidas, dura em média 25 minutos e custa R$30.

Pra quem chega à Camamu de carro, a cidade conta com alguns estacionamentos próximos ao cais (diária em torno de R$30). Outra opção é seguir de ônibus até Camamu com a Águia Branca ou contratar um transfer a partir do aeroporto de Ilhéus.

Essa foto do píer é antiga, já foi reformado (em breve coloco uma melhor)

Pra quem vem via Salvador, o esquema é mais complicado, mas não impossível. No caminho mais curto, é preciso atravessar de barco até Itaparica e no terminal de Bom Despacho pegar um ônibus até Camamu (saídas a cada meia hora).

A novidade dessa temporada é o catamarã Salvador x Barra Grande (com parada em Morro de São Paulo). Começou operar agora em dez/19 e faz a viagem em 4h. Apesar do preço ainda ser um pouco salgado (R$220 por trecho), é uma opção interessante.

O desembarque na Península é feito em Barra Grande. Quem se hospeda no centro pode ir caminhando até a pousada (se estiver com mala pesada, há carregadores no píer). Quem se hospeda em outra localidade, como Três Coqueiros, Bombaça e Taipu de Fora por exemplo, há a opção de táxi ou jardineiras (mais frequentes na alta temporada) pra se deslocar.

Melhor época para visitar a Península de Maraú


A Península de Maraú segue a tendência climática das demais cidades do litoral nordestino. Faz calor o ano todo, porém chove mais entre abril e agosto (outono e inverno). Entre setembro e março (primavera e verão), a tendência é o clima ficar mais seco e chover menos.

Como se locomover na Península de Maraú


Ufa! Depois de toda a missão, finalmente você chegou! Mas a Península é grande e é bom se programar para os deslocamentos por lá.

Com o tempo seco e a estrada de boa, o carro comum poderá te levar a quase todos os lugares na Península: Ponta do Mutá, Taipu de Fora, Algodões, Saquaíra, Campinho entre outros. Alguns lugares como a Lagoa Azul e Lagoa do Cassange há quem vá de carro normal mas eu não recomendo muito pois as estradas possuem alguns trechos com areal e o risco de atolar é grande.

Pra quem não está motorizado, as jardineiras, que são caminhonetes adaptadas com bancos de madeira na carroceria, são uma opção mais econômica para se deslocar. Com maior frequência na alta temporada e feriadões, elas levam para as principais localidades e tem preços tabelados. O ponto principal fica próximo do cais de Barra Grande e as saídas tem horários agendados. Prepare-se apenas para chacoalhar e comer um pouco de poeira na estrada.

Os táxis levam a todos os lugares da Península, mas cobram valores salgados. Uma corrida entre Barra Grande e Taipu de Fora custa R$60 em média.

Um outro meio de transporte, que é o mais utilizado por todos na Península, é o quadriciclo. Pra explorar a região, essa é uma ótima opção pois o quadri chega em lugares que um carro comum não chegaria, além de ser super divertido.

De quadriciclo é mais legal

A diária custa em média R$120 na baixa temporada e na alta chega até R$200/250 - e acredite, falta quadriciclo! Pra quem nunca pilotou um, é bem fácil guiá-lo e com as devidas instruções, em 10 minutos dá pra sair tocando a motoca. Lembrando sempre que o uso de capacete é obrigatório e é terminantemente proibido andar pela areia da praia.

Para passar informações super detalhadas, escrevi outro post sobre esse assunto - Passeio de quadriciclo em Barra Grande.

Onde se hospedar na Península de Maraú


É possível se hospedar em quase todos os povoados da Península de Maraú. Qual o melhor? Vai depender da sua proposta de viagem. O bom é que há bastante opções de pousadas pra todos os gostos e bolsos. Abaixo vou falar um pouco dos principais polos de hospedagem da Península:

Barra Grande é a vila com a melhor estrutura. Há comércio, bares, restaurantes e vida noturna (devagar, mas tem). Pra quem quer curtir praia boa e ficar próximo do "agito" é a melhor opção. Importante saber que quanto mais perto do centro da vila, mais perto de tudo.

Ponta do Mutá, Bombaça e Três Coqueiros apesar de muito próximos de Barra Grande (dá pra ir a pé - 15 minutos de caminhada) são regiões que tem uma identidade mais local e a aparência das ruas pode não agradar tanto. Pode ser uma boa opção pra economizar na alta temporada.

Taipu de Fora tem se desenvolvido bastante nos últimos anos e hoje já conta com alguma estrutura de bares e restaurantes além da praia. Localizada a 8 km de Barra Grande, é uma boa opção pra quem gosta de sossego e quer ficar bem perto das piscinas naturais, podendo fazer um bate-volta em Barra Grande a qualquer momento.

Cassange e Algodões estão distantes de Barra Grande e ainda possuem uma estrutura turística bem tímida. É uma opção pra quem quer sossego total.

Como eu disse no início, o melhor lugar para se hospedar na Península vai depender do que você busca na região. Para consultar outras opções de hospedagem na Península de Maraú, pesquise no Booking. Mas lembre-se sempre de ficar atento às avaliações. 😉

Booking.com

O que fazer na Península de Maraú


A Península de Maraú é destino pra quem quer curtir praia, natureza e sossego. Além de praias lindíssimas, é possível desfrutar de lagoas de água doce e das águas calmas, quentes e cristalinas da Baía de Camamu, que é a terceira maior do país em volume de água, perdendo apenas para Guanabara (RJ) e Todos os Santos (BA).

Abaixo vou listar as principais atrações da Península de Maraú. Lembrando que pra curtir praia no nordeste é preciso sempre ficar atento à tábua de marés, pois as variações são muito grandes. Para melhor se programar, consulte o site da Marinha.

Barra Grande


Barra Grande, além de ser porta de entrada pra quem chega de barco, é onde acontece o burburinho  da Península. O centrinho da vila é simples, charmoso e possui vários restaurantes e lojinhas.

A praia, que fica do lado da Baía de Camamu, tem o mar bem calmo e águas cristalinas. Alguns trechos ficam espremidos pelos muros das casas e pousadas, caminhando para o lado esquerdo do píer, a faixa de areia é mais larga. 

Trecho "urbanizado"

Seguindo pelo lado esquerdo mais uns 15 minutos de caminhada, chega-se num dos lugares mais bonitos da Península: o encontro do Rio Carapitangui com o mar. Lá está estrategicamente instalado o Bar da Rô que além do visual incrível, tem um ambiente legal e um cardápio maravilhoso (um pouco mais caro que a média).

O melhor bar e restaurante de Barra Grande

Fim de tarde no Bar da Rô

Ponta do Mutá


A Ponta do Mutá é exatamente a ponta da península que fica do lado de dentro da baía e faz divisa com o mar aberto. Confunde-se até com a praia de Barra Grande, pois uma é continuação da outra. Dá uns 10 minutos caminhando pela praia do lado direito do píer.

É uma das praias mais bonitas da região e camarote pra curtir um belo pôr do sol. Por aqui estão instalados ótimos barzinhos de praia como o Sol do Mutá (o melhor catado de aratu), O Bar (tem um coco torrado e salgado divino de petisco) e o Macunaíma.

Ponta do Mutá

Pôr do sol na Ponta do Mutá

Bombaça e Três Coqueiros


As duas praias, que na verdade são uma só que muda de nome conforme o trecho, ficam também na ponta da península, só que do lado do mar aberto. Possuem pedras que formam piscinas naturais na maré baixa.

praia bombaça barra grande bahia
Praia da Bombaça

praia tres coqueiros barra grande bahia
Praia dos Três Coqueiros

Taipu de Fora


A praia de Taipu de Fora já foi eleita algumas vezes como a praia mais bonita do Brasil pelos guias especializados. De fato é uma praia lindíssima, que na maré baixa possui inúmeras piscinas naturais cheias de peixinhos.

Pra curtir as piscinas é preciso estar na praia no horário da maré mais seca do dia. Se você chegar na maré alta, não vai ver nada além de uma praia como outra qualquer.

Maré seca em Taipu

Piscina natural e particular!

A vila de Taipu está em pleno desenvolvimento e possui diversas opções de pousadas e restaurantes. Mas nem tudo funciona o ano todo ainda.

Na praia tem alguns quiosques grandes, como o famosinho Buda Beach e o Bar das Meninas. O movimento maior fica centralizado num ponto específico da praia, em frente às piscinas. Quem procura sossego e praia privativa, basta caminhar alguns minutos para os lados.

Piscinão de Taipu

Caminhando uns 10 minutos para o lado direito está localizado o Dreamland Bungalows, uma pousada que tem um beach bar aberto ao público muito bacana que além de servir ótimos petiscos, vende as maravilhosas cervejas artesanais da Noi.

Saquaíra e Algodões


Bem mais distantes de Barra Grande, esses dois vilarejos são pequenos e bem tranquilos. As praias são naquele estilo infinitas, com coqueiros e piscinas naturais.

A estrutura de barracas de praia aqui é mais simples e fica concentrada num único ponto, que é o mais movimentado. Seguindo para os lados, são quilômetros de praia deserta.

Algodões está um pouco mais desenvolvida para o turismo (pouco, tá gente?). Lá tem um beach club muito legal chamado Tikal mas que funciona somente na alta temporada.

Algodões em um carnaval - cheio?

Já Saquaíra é um pouco mais local e pode não agradar tanto quando rola as bagunças de alta temporada e feriadões. 

Saquaíra

Praia e Lagoa do Cassange


A Praia do Cassange também segue a mesma linha das demais: infinita, cheia de coqueiros e piscinas na maré baixa. Além de ser pouquíssimo ocupada, o grande bacana daqui é a proximidade com a lagoa de mesmo nome. Há um trecho inclusive, que a distância entre o mar e a lagoa é percorrida em pouco passos.

Da beira da lagoa dá pra ver o mar

O principal ponto de mergulho na lagoa é numa casa verde, onde funciona um bar. Fique ligado nessa informação porque é fácil passar batido e lá na região não tem outra opção. Serve bebidas e alguns petiscos num ambiente simples com visual top.

A água da lagoa é doce, cor de ferrugem e quentinha. Ela é bem grande e é uma ótima opção para praticar SUP.

Lagoa do Cassange

 Lagoa Azul 


A Lagoa Azul recebeu esse nome por causa do reflexo do céu na água. É grandinha mas tem apenas um ponto de parada para mergulho, que ultimamente anda meio controverso.

Se der sorte, pode encontrar a cabana administrada pelo Seu Edmilson, baiano figuraça, de conversa boa e divertida. Ele vende coco, água, cerveja, refrigerante e cocada. Mais do que isso ele disse que dá trabalho! 😁 Há uma disputa local de terras que às vezes cerca o local e tira o Seu Edmilson de lá, mas ainda assim todo munto continua entrando pra mergulhar.

Lagoa "azul"

O mergulho é top, a água é doce e quentinha, o lugar é super sossegado e tem um mega visual. Apesar de não ser azul, a cor da água é transparente mas no fundo há muitos galhos e folhas, por isso a aparência dela olhando de perto é escura. Mas basta caminhar pra essa "sujeira" se afastar e perceber o fundo de areia branca.

Taipu de Dentro


Taipu de Dentro é um distrito menos turístico, mais habitado pela população local. A praia tem mar super calmo mas por ser fundo de baía, a areia é misturada com um pouco de lama de manguezal. Os quiosques daqui são estilo mais popular e final de semana é comum encontrar com o paredão de caixas de som no último volume.

Sossego total em Taipu de Dentro

Se estiver de bobeira num rolé de quadriciclo pela Península, dê uma passada lá pra conferir mais um dos distritos da Península de Maraú.

Campinho


Campinho é literalmente o fim da linha, o final da BR-030. É um dos distritos menos turísticos (por enquanto) e lembra até como era a Península antes de ser descoberta pelos turistas.

Foi aqui que o governo quase instalou um porto na década de 1950 por causa da boa profundidade que a região possui (ainda bem que os planos mudaram). E foi por aqui também que o escritor francês Saint Exupéry (autor de O Pequeno Príncipe) se apaixonou pela Bahia e passou uma boa temporada com direito até a romance.

A praia perto do vilarejo tem águas super calmas e cristalinas e é onde fica localizada a simpática Cabada do Régi, que ganha a gente pela simplicidade e sossego do lugar. Outro lugar legal de visitar em Campinho é o restaurante da Pousada Chez Petit, com um clima e visual de fim de tarde imperdíveis (confira a carne de fumeiro - é de comer rezando!).

Fim de tarde na Chez Petit

Pra quem olha do Bar da Rô, a outra margem do Rio Carapitangui é Campinho, onde forma-se uma praia divina, deserta e com acesso um pouco restrito. Um verdadeiro paraíso particular! 

Barra Grande é logo ali!

Passeio de barco pela Baía de Camamu


Um passeio muito popular e diga-se de passagem, imperdível, é explorar a Baía de Camamu de barco. O passeio é lindíssimo e por isso eu escrevi um outro post contado tudo em detalhes - Passeio de Barco em Barra Grande.

Ilha do Goió

O passeio normalmente para em cinco ilhas, cada uma com o seu encanto. Na versão do passeio mais completa dá pra visitar uma cachoeira que deságua direto no mar, a Cachoeira do Tremembé.

Cachoeira de Tremembé

Vida noturna na Península de Maraú


A Península de Maraú é um lugar beeeem sossegado. O movimento noturno maior acontece na vila de Barra Grande. Nos demais povoados, com muita sorte, pode encontrar algum restaurante funcionando à noite.

Na Praça da Tainha, que fica no centro da vila, sempre rola música ao vivo (voz e violão, mais pra MPB). Então enquanto você janta, dá pra curtir uma música boa e ainda pode contribuir com os músicos locais deixando aquela ajuda na caixinha deles.

Alguns outros bares ao redor ali do centrinho também tem música ao vivo.

Pra quem animar a seguir noite adentro, pode ir pro Santo Forte, um outro barzinho que fica bem perto do centrinho. O movimento começa lá pelas onze, meia-noite e sempre tem um showzinho legal rolando. Pra conferir a programação, acesse a página deles aqui. Costuma funcionar nos finais de semana e na alta temporada abre todos os dias.

No Réveillon a coisa toda muda de figura. A Península tem algumas festas estilo "super produção" que contam com atrações de nível nacional. Pra quem curte uma farra boa, pode passar o ano por lá que é garantia de dias (e noites) inesquecíveis.

Dicas Gerais


A energia é 220v. Leve carregadores bivolt.

Na Península não há agências bancárias e nem caixas eletrônicos, é preciso levar dinheiro em espécie. Quase todos os estabelecimentos aceitam cartões de crédito/débito.

Pra abastecer o carro, há posto de combustível em Maraú, Taipu de Fora e Barra Grande. Os preços são mais elevados.

A vila possui um bom acesso à internet e o sinal de celular de todas as operadoras variam bastante.

Pra curtir o real sossego do destino, evite feriados e alta temporada.

Para as meninas: as ruas são todas de areia e barro e muito provavelmente só vai dar pra usar chinelo!


2 comentários:

  1. nunca vi uma dica de viagem tão bem feita e completa.Vou seguir as orientações.Obrigada por ajudar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá,

      Que bom que as dicas vão te ajudar! Aproveite a Península e boa viagem! =)

      Excluir