in

Dicas de viagem para Barra Grande - Bahia

- - Nenhum comentário
Encontrei meu pedacinho de Bahia
Final de ano chegando e eu só tenho o que agradecer, especialmente no que diz respeito às minhas viagens. Neste ano consegui conhecer destinos que há muito habitavam os meus sonhos de viajante! E foi nessa pegada que fechei o ano com chave de ouro conhecendo Barra Grande na Península de Maraú, Bahia.

Agora sim, posso dizer com conhecimento de causa que a Península de Maraú é a região mais bonita da Bahia. E olha que de Bahia eu entendo, viu?! Afinal foram 10 anos vivendo nesse estado.

A razão desse meu encantamento é que a Península de Maraú além de possuir aquelas praias infinitas bem características do nordeste, ainda tem piscinas na maré baixa, lagoas, uma baía com ilhas lindíssimas e quase desertas, águas quentes e cristalinas e pra arrematar, aquele sossego baiano que não existe nada igual nesse mundo!

É realmente, Barra Grande é um destino daqueles que faz a gente balançar e dá até vontade de se mudar pra lá..

A minha viagem


Cheguei em Barra Grande vindo de carro alugado a partir de Ilhéus, num pouso cheio de emoção (descobri que o aeroporto de Ilhéus é o segundo mais perigoso do Brasil nesse dia!). De Ilhéus até BG, com a estrada em boas condições, levei quase 2 horas de viagem.

Sem contar o dia da chegada, foram quatro dias inteiros de estadia. Achei o tempo suficiente para explorar com calma a região. Apesar da previsão do tempo dar chuva pra semana toda, dei muita sorte e peguei sol e muito calor todos os dias.

Como chegar em Barra Grande


Barra Grande fica na Península de Maraú, na região turística baiana conhecida como Costa do Dendê. E se prepare: chegar neste pedacinho de Bahia requer um pouco de planejamento e dedicação.

O aeroporto mais próximo é o de Ilhéus (150km) mas também dá pra vir pelo de Salvador (280km via Itaparica).

Mapa da região
O acesso via terrestre até Barra Grande é feito através da BR-030, que pode ser acessada pela BA-001, tanto pra quem vem de Ilhéus ou de Salvador. O problema é que esta BR é uma estrada de terra e em época de chuvas pode ser uma missão complicada atravessar os seus 60km. Se estiver num período seco e quando a prefeitura passa a máquina na estrada, dá pra passar por ela sem problema nenhum.

Lancha rápida (reparem no primeiro da fila)
Pra quem chega à Camamu de carro, a cidade conta com alguns estacionamentos próximos ao cais (diária em torno de R$30). Outra opção é seguir de ônibus até Camamu com a Águia Branca ou contratar um transfer a partir do aeroporto de Ilhéus.

Pra quem vem via Salvador, o esquema é mais complicado, mas não impossível. No caminho mais curto, é preciso atravessar de barco até Itaparica e no terminal de Bom Despacho pegar um ônibus até Camamu (saídas a cada meia hora).

A novidade dessa temporada é o catamarã Salvador x Barra Grande (com parada em Morro de São Paulo). Começou operar agora em dez/19 e faz a viagem em 4h. Apesar do preço ainda ser um pouco salgado (R$220 por trecho), é uma opção interessante.


Melhor época para visitar Barra Grande


Barra Grande segue a tendência climática das demais cidades do litoral nordestino. Faz calor o ano todo, porém chove mais entre abril e agosto (outono e inverno) e entre setembro e março (primavera e verão), a tendência é o clima ficar mais seco e chover menos.



Como se locomover em Barra Grande


Ufa! Depois de todo perrengue consegui chegar em Barra Grande! Missão cumprida! E agora, como se deslocar dentro da Península?

Bem, se você der a sorte que eu dei de pegar o tempo super seco, o carro comum poderá te levar a quase todos os lugares.

Em Barra Grande é comum se deslocar entre as praias através de jardineiras, que são caminhonetes adaptadas com bancos de madeira na carroceria. Elas levam para todas as atrações e tem preços tabelados. Na vila, o ponto fica próximo do cais e as saídas tem horários agendados. Prepare-se apenas para comer um pouco de poeira na estrada. Táxis levam a todos os lugares da península, mas cobram valores salgados. Uma ida para Taipu de Fora custa R$60, por exemplo.
 
O meio de transporte mais utilizado em Barra Grande é o quadriciclo. Lá, a população utiliza a motoca pra tudo. Pra ter uma ideia, são 360 quadriciclos na cidade! E para explorar a região, essa é a melhor opção pois o quadri chega em lugares que um carro comum não chegaria, além de ser super divertido. 

A diária custa em média R$120 na baixa estação e na alta chega até R$200/250. Pra quem nunca andou de quadriciclo, vá de boa! É fácil e qualquer um, com as devidas instruções, em 10 minutos sai tocando a motoca. O uso de capacete é obrigatório e é proibido andar pela areia da praia.

Para mais informações, escrevi outro post sobre esse assunto - Quadriciclo em Barra Grande.

Onde se hospedar em Barra Grande


Barra Grande conta com bastante opções de pousadas pra todos os gostos e bolsos. O povoado é pequeno, então tudo é muito próximo. Atenção apenas para o detalhe que quanto mais perto do centrinho da vila, mais perto de tudo (isso pode ser bom ou ruim, dependendo da proposta da viagem).

A Praça. O movimento rola aqui..
Não podia faltar igrejinha né..
Em Barra Grande eu já me hospedei nas seguintes pousadas:

- Pousada Capitão Gancho: é pequena, simples e super bem localizada: ao lado do cais e da praça onde fica o "burburinho" à noite. Além disso, a pousada é administrada pelo simpático casal de gaúchos Mara e Paulo, que fazem de tudo para que o hóspede se sinta em casa. Ótimo custo/benefício.

- Barra Trip: localizada a uns 7 minutos de caminhada da vila, essa pousada tem a vantagem de ficar mais próxima do encontro do Rio Carapitangui com o mar e do Bar da Rô. O staff é muito atencioso, os quartos são novos e espaçosos, confortáveis, super limpos e contam com ar, TV e frigobar. O sinal de wifi funciona em todas as dependências, pena que as operadoras da cidade não ajudam muito.

- Barra Quintal: são pequenos apartamentos equipados com cozinha e super bem localizados: ao lado da praça principal e bem pertinho do píer. O mais bacana é que mesmo estando ao lado de todo o movimento da cidade, é super reservado e silencioso. Os apês são simples e bem limpos. Pra quem pretende economizar na viagem, a cozinha pode ser um super adianto. Aliás, os proprietários poderiam até investir um pouquinho mais na cozinha, oferecendo mais utensílios (falta tudo! rs).

Para consultar outras opções de hospedagem em Barra Grande, pesquise no Booking. Mas lembre-se sempre de ficar atento às avaliações. 😉


Booking.com

Também há a opção de se hospedar nos vilarejos de Três Coqueiros e Bombaça que são bem próximos à Vila de Barra Grande, dá até pra ir a pé (uns 15/20 minutos de caminhada) mas não são tão charmosos quanto Barra Grande, o visual aliás é bem feinho. A vantagem de se hospedar por ess aregião seria em relação ao preço, que tende a ser mais barato.

Mapa da Península de Maraú
Já Taipu de Fora fica distante 7km de Barra Grande. A vila em torno dessa praia é bem simpática e conta com opções de hospedagem bem interessantes. Um dos motivos para se hospedar lá seria além do sossego, a possibilidade de chegar cedo na praia e aproveitar uma suposta "exclusividade" nas piscinas naturais, antes da chegada dos turistas que estão em BG. Mas essa é uma teoria meio furada, vou explicar o porquê.

Tudo vai depender da maré. Se a maré mais seca do dia ocorrer bem cedo, ok. Quem estiver hospedado em Taipu vai ter vantagem nas piscinas naturais em relação aos que estiverem em BG. Mas se a maré seca ocorrer ao longo do dia, todos vão dividir as piscinas no mesmo horário e aí, lá se vai a tal vantagem de estar hospedado em Taipu. Enquanto estive lá, as marés secas ocorreram entre 12h e 14h e nesse horário a praia já estava cheia. E além do mais, Barra Grande não se resume só a essa praia, tem muito mais coisas interessantes pra ver e fazer na região.

Já as (poucas) opções de hospedagem  no Cassange, Algodões e Saquaíra é pra quem quer se isolar completamente do mundo e curtir mais a praia local. 

 O que fazer em Barra Grande


Barra Grande é destino de praia, pé na areia (literalmente pois todas as tuas são de terra), rústico e simples. Não é exatamente um destino de badalação e sim de sossego. Tirando a época do Réveillon, o clima aqui é bem pacato durante todo o ano. Então o esquema é basicamente curtir o dia na praia e no mar e à noite sair pra jantar no centrinho da vila.

Além de praias lindíssimas, a região da Península de Maraú possui várias lagoas e ainda é banhada pela Baía de Camamu, que é a terceira maior do país em volume de água, perdendo apenas para Guanabara (RJ) e Todos os Santos (BA). Paraíso de águas calmas, quentes e cristalinas!

Um detalhe que vai fazer toda a diferença na sua visita às praias de região será a maré. No nordeste as variações de maré são muito grandes, por isso dê preferência por visitá-las sempre no horário de maré baixa. Para melhor se programar, consulte o site da Marinha.

Barra Grande


A Praia de Barra Grande é a faixa de areia que segue ao longo da vila e vai até a barra do Rio Carapitangui, onde fica o mais-que-perfeito Bar da Rô.

Ao longo do povoado o mar é bem calmo, porque esta parte está virada pra dentro da Baía de Camamu. Em alguns trechos a praia pode não ser muito boa por causa da proximidade das casas e pousadas. Há também diversos pontos da praia onde foram instaladas algumas camboas (armadilhas pra pegar peixe).

Na praia de Barra Grande, fica também uma das filiais do badalado Cafe de La Musique. Bom pra curtir um fim de tarde ao som de música eletrônica com direito até a fogueira! Confira a programação no site pois o bar não abre o ano todo.

 Praia de Barra Grande
Trecho "urbanizado"
Já o Bar da Rô é o ponto alto de Barra Grande. Imagine um bar super charmoso, com comida excelente localizado estrategicamente entre o rio e o mar? E pra completar com um pôr do sol de tirar o fôlego?

Barra do Rio Carapitangui
E o incrível pôr do sol
Pra chegar até lá é preciso andar a pé pela praia (uns 20 minutos de caminhada a partir do centrinho), de quadriciclo ou carro comum, mas tem que ficar esperto pra não atolar o carro no areal. Eu mesma já precisei ajudar um casal com que estava com o carro atolado na saída do bar.. Foi meio perrengue!

Já no Bar da Rô, os preços são um pouco acima da média da cidade mas pode apostar, vale cada centavo. Tanto pela qualidade dos pratos e atendimento, quanto pela beleza e paz que o lugar proporciona.

Bar da Rô e a sua localização estratégica
Luxo é isso aí..

Ponta do Mutá


A Ponta do Mutá é exatamente a ponta da península que fica do lado de dentro da baía e faz divisa com o mar aberto.

É uma das mais bonitas na minha opinião. A formação da enseada, a vista pra dentro da baía, as piscinas naturais.. tudo é tão bem posicionado pela natureza! Há alguns quiosques legais como o Sol do Mutá e o Bar das Meninas. Caminhando pro lado direito, a praia não possui nenhuma construção e é um sossego só!

Ponta do Mutá
Piscinas naturais
É um dos pontos mais bacanas pra curtir o pôr do sol em Barra Grande.

Pôr do sol na Ponta do Mutá

Bombaça e Três Coqueiros


As duas praias, que na verdade são uma só que muda de nome conforme o trecho, ficam também na ponta da península, só que do lado do mar aberto. Na maré baixa possuem pedras e piscinas naturais e com a maré alta o mar costuma ficar agitado. É daquelas praias infinitas e cheias de coqueiros. Tem pouquíssimo movimento de pessoas.

 Bombaça

Taipu de Fora


A praia de Taipu de Fora já foi eleita algumas vezes como a praia mais bonita do Brasil pelos guias especializados. De fato é uma praia lindíssima, que na maré baixa possui inúmeras piscinas naturais cheias de peixinhos.

Taipu fica a 7km da vila de Barra Grande. Pra chegar até lá, as jardineiras fazem o transporte entre a vila e a praia. Há quem prefira ir caminhando pela praia pra poder curtir quilômetros de praia deserta.

O ideal é estar na praia no horário da maré mais seca do dia, quando todas as piscinas naturais aparecem e fazem a alegria dos turistas e moradores.

Maré seca em Taipu
Piscina natural e particular!
A vila em torno da praia é um pouco desenvolvida e possui pousadas, restaurantes e mercadinho. Na beira da praia tem alguns quiosques grandes, como o famosinho Buda Beach. Há também aluguel de snorkel e SUP pra quem se animar explorar a grande piscina que se forma na maré baixa. Mas tudo fica centralizado num ponto específico da praia. Pra quem procura sossego, basta caminhar alguns minutos para os lados e desfrutar de uma praia quase exclusiva com direito a piscina particular.

Piscinão de Taipu
Pra quem está acostumado com o litoral norte da Bahia, onde toda praia na maré baixa fica coberta de pedras e piscinas naturais, Taipu pode não parecer uma grande novidade. E foi bem isso que aconteceu comigo.. Achei Taipu bonita claro, mas não arrancou meu suspiro!

Lagoa Azul 


A Lagoa Azul, que recebeu esse nome por causa do reflexo do céu na água, foi um dos lugares que mais curti no rolé de quadri pela Península. Dá pra chegar de carro comum também, mas com um certo perrengue por causa do areal.

A lagoa, de tamanho médio, tem apenas um ponto de parada para mergulho, que é onde fica uma cabana bem simples "administrada" pelo Sr. Edmilson, baiano figura-mor, de conversa boa e divertida. Ele vende coco, água, cerveja, refrigerante e cocada. Mais que isso ele disse que dá trabalho! kkkk

Lagoa "azul"
O mergulho é daqueles tipo top, água super quentinha num lugar super sossegado. A cor da água é transparente mas no fundo há muitos galhos e folhas, por isso a aparência dela é escura. Mas basta caminhar pra essa "sujeira" se afastar e perceber o fundo de areia branca.

Praia e Lagoa do Cassange


A Praia do Cassange também segue a mesma linha das demais: infinita e cheia de coqueiros. Também possui pedras e formação de piscinas na maré baixa. O grande bacana dessa praia é a proximidade com a lagoa de mesmo nome. Há um trecho inclusive, que a distância entre o mar e a lagoa é percorrida em poucos passos.

Lagoa do Cassange
O principal ponto de mergulho na lagoa é num bar que fica numa casa verde (anota isso aí porque não tem sinalização e na primeira vez eu passei direto!) que serve bebidas e alguns petiscos. A água da Lagoa do Cassange é bem escura, de tom ferrugem. O mergulho é super agradável mas como eu tenho certa fobia de água escura, pra mim foi coisa rápida! Ela é enorme é bem boa pra praticar SUP e alguns esportes de vento como kite e wind.

Eu, de boa na lagoa!
Já o acesso até aqui não é dos mais fáceis. A estrada de terra em muito trechos é areal puro e um carro comum atola facilmente. O mais comum para os turistas é chegar até aqui de quadriciclo.

Saquaíra e Algodões


Bem mais distantes de Barra Grande, essas praias também seguem a mesma linha das demais (coqueiros/infinitas) com a diferença de ser quase totalmente deserta! Também possuem algumas piscinas naturais na maré baixa. O bom delas é olhar para um lado e pro outro e ver quilômetros de praia sem ninguém!

Saquaíra..
As piscinas naturais de Algodões
O acesso entre a estrada principal e as duas praias é tranquilo de ser percorrido de carro comum. Em volta de cada praia há uma comunidade local.

Taipu de Dentro


Taipu de Dentro é uma outra comunidade de pescadores da Península de Maraú. Não é das mais turísticas, mas num rolé de quadriciclo, vale a pena ir lá dar uma conferida.

Sossego total em Taipu de Dentro
Tem uma prainha simpática, super sossegada e banhada pelas águas calmas e quentes da Baía de Camamu.


Vida noturna em Barra Grande


A vila de Barra Grande no geral é um lugar beeeem sossegado. O movimento noturno fica por conta dos bares e restaurantes do centrinho.

Na Praça da Tainha, que fica no centrinho, sempre rola música ao vivo (voz e violão, mais pra MPB). Então enquanto você janta, dá pra curtir uma música boa e ainda pode contribuir com os músicos locais deixando aquela ajuda na caixinha deles.

Alguns outros bares ao redor ali do centrinho também tem música ao vivo.

Pra quem animar a seguir noite adentro, pode ir pro Santo Forte, um outro barzinho que fica bem perto do centrinho. O movimento começa lá pelas onze, meia-noite e sempre tem um showzinho legal rolando. Pra conferir a programação, entre na página deles aqui. Costuma funcionar nos finais de semana e na alta temporada abre todos os dias.

No Réveillon a coisa toda muda de figura. Barra Grande tem várias festas estilo "super produção" que contam com atrações de nível nacional. Pra quem curte uma farra boa, pode passar o ano por lá que é garantia de dias (e noites) inesquecíveis. 

Dicas Gerais


A energia é 220v. Leve carregadores bivolt.

Em Barra Grande não há agências bancárias e nem caixas eletrônicos. É preciso levar dinheiro em espécie. Quase todos os estabelecimentos aceitam cartões de crédito/débito.

Há apenas um posto de combustível e o preço da gasolina é salgado.

A vila possui um bom acesso à internet e telefones só funcionam bem os da TIM e Vivo. A Claro instalou uma antena recentemente, mas o sinal ainda não é bom.

Pra curtir o real sossego do lugar, evite feriados e alta temporada.

Não há registros de assalto e violência na cidade, dá pra passear tranquilo.

Meninas: não precisa levar nenhum sapato, a não ser chinelo. As ruas são todas de areia e barro.

Mais informações sobre Barra Grande e a Península de Maraú 

Passeio de Barco pela Baía de Camamu
Quadriciclo em Barra Grande
Carnaval em Barra Grande




Nenhum comentário

Postar um comentário