in

Dicas de viagem para Morro de São Paulo

- - Nenhum comentário
Plano B na Bahia é assim..
Se tem um lugar na Bahia que eu adoro e recomendo a todo mundo que quer um destino bacana de praia pra casar numa viagem à Salvador, esse lugar é Morro de São Paulo.

Lá, além de praias lindas, piscinas naturais, espere encontrar um vilarejo super descolado com restaurantes bacanas e festinhas animadas. Ao mesmo tempo, ainda é possível curtir a paz e o sossego de uma simpática vila de pescadores. É daqueles destinos pra praieiro nenhum botar defeito!

Morro de São Paulo está nas minhas melhores memórias de infância. Eu e minha família fomos algumas vezes à ilha quando eu era molecota. Naquela época, o acesso até a ilha era bem restrito e isso fazia com que o lugar fosse um paraíso super preservado. Hoje, com o acesso mais fácil, as coisas estão bem diferentes e Morro sofreu um pouco com a invasão turística. Coisas do progresso, fazer o quê? Ainda assim, super vale a pena conferir.

A minha viagem


Morro de São Paulo surgiu como uma alternativa ao meu plano frustrado de ir pra Mangue Seco. Peguei uma chuvarada no norte do estado e tive que sair correndo de lá e procurar um plano B para as férias. Foi daí que veio à mente aquele lugar irado que eu ia quando era criança com meus pais.

Plano A: furada!
Saí lá do extremo norte do estado e em duas horas já estava embarcando no ferry para Morro de São Paulo debaixo de um sol de rachar! É, a Bahia tem magia..

Embarcando para o plano B!

Como chegar em Morro de São Paulo


Morro de São Paulo fica na Ilha de Tinharé, ao sul de Salvador, na região conhecida como a Costa do Dendê. Dá pra chegar na ilha de duas maneiras: barco ou avião. De avião, as saídas partem do aeroporto de Salvador em teco-teco e o voo leva 25 minutos.

Dá pra chegar de todo jeito
De barco, as saídas partem de Salvador, no Terminal Marítimo, levam 2h de viagem e tem um precinho salgado. As empresas que operam nesse trecho são a Biotur e a Ilha Bela.

A viagem de ferry para Morro de São Paulo é um clássico. Não tem uma pessoa que tenha ido pra lá e não tenha uma história divertida ou de terror pra contar! É que o mar nessa região costuma ser muito mexido e sempre dá ruim na ida ou na volta (ou nos dois se você der muito azar). Comigo foi na volta. O barco balançou tanto que até o marinheiro passou mal. Foi bem tenso! A viagem levou três horas até por causa da complicação das condições do mar.

Se você é uma pessoa sensível ao mar, recomendo avaliar a opção do ferry e quem sabe até considerar outras opções.

Existe ainda a opção de pegar o barco em Valença, onde o preço da travessia é bem menor e o tempo também, apenas 30 minutos. Diferente da travessia de Salvador, aqui o mar é abrigado e tem águas calmas e navegação tranquila, sem sustos.

Pra chegar em Valença de carro vindo de Salvador, o caminho mais curto é atravessando até a Ilha de Itaparica pelo ferry-boat. Se vier de ônibus, existem duas empresas que operam o trecho Salvador-Valença: Águia Branca e Camurujipe.

Melhor época para visitar Morro de São Paulo


Morro de São Paulo segue a tendência climática das demais cidades do litoral nordestino. Faz calor o ano todo, porém chove mais entre março e julho (outono e inverno) e entre agosto e fevereiro (primavera e verão), a tendência é o clima ficar mais seco e chover menos.


Onde se hospedar em Morro de São Paulo


Morro de São Paulo conta com uma infinidade de opções de hospedagem para todos os gostos e bolsos.

Como a ida pra lá foi no susto, só tive como desenrolar a pousada na hora que desembarquei em Morro de São Paulo. Acabei caindo numa super furada e fiquei numa pousada muito ruim: Pousada Aradhia. De início, pareceu amigável, na beira da praia, quarto razoável e tal. Mas com o passar do tempo, fui vendo que era horrível: abandonada, nunca tinha gente na recepção e o café da manhã era imundo. Não recomendo pra ninguém!

A pousada do terror ficava na Terceira Praia. A localização é ótima pois por ser afastada no centro, o sossego é garantido. O único complicador é que a noite é preciso fazer uma boa caminhada até o centro, onde fica o burburinho. Mas vou te falar que eu até gostei pois o caminho vai beirando o mar e tava fazendo lua cheia, foi bem agradável.

Pra consultar outras opções de hospedagem, clique aqui. Mas lembre-se sempre de ficar atento às avaliações, ok? 😉

http://www.booking.com/searchresults.html?city=900040389&aid=1256661&no_rooms=1&group_adults=1


De rolé por Morro


Ao chegar no desembarque do porto de Morro de São Paulo esteja preparado para além da subida do morro, ser sufocado pelos “guias” locais oferecendo pousada, passeio ou qualquer outra coisa que você esteja procurando por lá.

A divisão da parte turística da ilha é bem simples. O Centro, que fica no alto do morro logo após a subida da ladeira do desembarque, concentra a maior parte dos restaurantes, lojinhas etc.

A Primeira Praia, fica logo abaixo do centro e possui algumas pousadas. Continuando pela beira da praia, tem início a Segunda Praia com vários quiosques de praia e algumas pousadas na rua detrás.

A Terceira Praia, onde eu fiquei, só tinha pousadas. A Quarta Praia possui hotéis mais reservados e a Quinta Praia além de ser longe pra cacete, só tem coqueiros e poucos hotéis mais exclusivo$.

Aquele caminho pro centro da cidade que você respeita
E no meio do caminho tinha uma lua cheia!
A única coisa boa da pousada: a vista
Com o tempo era curto, resolvi gastar o único dia inteiro com o passeio de barco que dá uma volta completa na ilha de Tinharé. O passeio faz uma parada nas piscinas naturais de Moreré, na Vila Velha de Boipeba, entra pelo Rio do Inferno, passando pelos mangues, um bar flutuante criador de ostras e por fim na cidade histórica de Cairú. Ufa!

O passeio sai do final da Terceira Praia e é super fácil encontrar pessoas vendendo ingresso.

Dei sorte de pegar um barqueiro super gente boa: o Rasta. Além de explicar várias coisas bacanas sobre o lugar, ele deixava a turma super a vontade e o barco dele tinha até uma trilha sonora produzida especialmente para o passeio (por exemplo, quando entramos no rio começou a tocar Chico Science - mangue beat, sacou?). Recomendo essa figura!

Piscinas de Moreré
Chegando em Boibepa
O passeio retorna para a vila de Morro de São Paulo no final do dia e a minha ideia era chegar a tempo de curtir o pôr do sol da Toca do Morcego, que é um lounge/boate que fica no alto do morro e proporciona uma vista maravilhosa.

Mas o nosso amigo Rasta esqueceu da vida em uma das redes da Velha Boipeba e o passeio atrasou, cheguei em Morro só às 17:30 e não deu tempo de subir até a Toca. Mas, pelo que vi das fotos, super recomendo quem estiver por lá fazer esse esforço, pois além do visual, dizem que o agito é garantido.

Se estiver afim de fazer um exercício físico recomendo a subida até o farol. A trilha de acesso começa no Centro e é a mesma que leva pra Toca do Morcego. Não é difícil pois é toda de degraus, mas por ser subida é um pouco cansativa. Ao chegar no topo, não desanime, mas não é permitida a entrada no farol. A boa é ir até a tirolesa, que fica bem ao lado e tem uma vista incrível de Morro. Se você for corajoso, se jogue dali mesmo.

O mais perto que dá pra chegar do farol
Vista da Tirolesa - Primeira e Segunda Praia
Depois do momento "vida saudável do dia", me ocupei em não fazer nada nas praias de Morro.

Piscinas da Segunda Praia
Piscinas da Quarta Praia
E assim encerrei essa minha visita rapidinha à Morro de São Paulo. Tá vendo como dá pra combinar com uma viagem à Salvador? Eu tinha só dois dias e curti pra caramba!

Dicas Gerais


Eu amo Morro. É claro que não encontrei o mesmo lugar de 20 anos atrás, mas a energia do lugar ainda é muito bacana.

Só não recomendo ir pra lá em datas especiais, tipo carnaval, Ano Novo, Semana Santa, porque o lugar fica insuportável. Mesmo.

 
**Data da viagem: fevereiro/2011


Nenhum comentário

Postar um comentário