in

Dicas de viagem para Natal, no Rio Grande do Norte

- - Nenhum comentário
Então, é Natal!
Nossa visita ao Rio Grande do Norte não poderia deixar de fora a sua famosa capital: Natal. Depois de alguns dias de pura maresia em Pipa, resolvemos dar um pulo na capital potiguar pra dar uma conferida (bem de leve) como funcionam as coisas por lá.

Como as capitais não me atraem muito, já que moro em uma delas (e que por um acaso é a "maravilhosa") não me estendi muito em Natal. Me programei pra chegar no final do dia, ter um dia livre pra fazer o tão famoso passeio de bugre pelas dunas de litoral norte e no dia seguinte zarpei de lá em direção à São Miguel do Gostoso.

Para curtir todas as fotos da minha trip, acompanhe no Instagram em #reviajarn

Como chegar em Natal


Chegar em Natal é moleza! A cidade recebe voos diários de várias cidades do país.

Como disse anteriormente estava em Pipa e ao invés de ir direto para Natal, resolvi fazer um reconhecimento da parte do litoral sul que ainda não havia conhecido. Segui pela RN-063, que é uma estrada estadual que liga o município de Nísia Floresta à Natal pelo litoral. Antes porém, aproveitei pra dar um pulo em uma das mais de 20 lagoas de Nísia Floresta muito pouco visitada pelos turistas: a Lagoa do Carcará.

Melhor época para visitar Natal


O "inverno" de Natal e do resto do Rio Grande do Norte costuma chegar entre os meses março e junho, trazendo bastante chuva para a região. Entre Agosto e Janeiro é mais garantido encontrar muito sol e calor.

x
Eu fui no mês de setembro e peguei sol e a promessa foi cumprida: muito calor todos os dias. Algumas vezes o tempo até ameaçava fechar e parecia que ia cair uma chuva daquelas. Daí passavam 15 minutos e o céu abria de novo.

Natal, como é um dos principais destinos de férias brasileiro, costuma encher muito nas férias e feriadões, por isso se a sua intenção é curtir a cidade com mais com tranquilidade, evite essas datas.

Onde se hospedar em Natal


Os dois principais polos de hospedagem de Natal são os bairros de Ponta Negra e a Via Costeira.

Na Via Costeira ficam localizados os resorts da cidade, porém não tem estrutura alguma ao redor. Só os hotéis mesmo.

Já em Ponta Negra concentra-se uma enorme variedade de hotéis, pousadas e flats pra todos os gostos e bolsos. Há também muitos bares, restaurantes e lojinhas ao longo de todo o bairro e  na orla. Já a Via Costeira não tem nada além dos resorts do lado da praia e dunas do outro, ou seja, é completamente isolada.

Eu me hospedei no Hotel Atol das Rocas e tenho ótimas recomendações sobre ele. Quartos espaçosos, limpos e silenciosos. Localização muito boa e staff super atencioso. Eu ainda dei sorte de pegar o último quarto do corredor e com isso fiquei com uma bela vista do Morro do Careca.

Para pesquisar outros hotéis em Natal, clique aqui. Mas lembre-se sempre de ficar atento às avaliações, ok?

http://www.booking.com/searchresults.html?city=-656888&aid=1256661&no_rooms=1&group_adults=1

Praias de Natal


As praias de Natal são todas praias urbanas e por isso não são tão legais. São elas: do Forte, Areia Preta, do Meio e dos Artistas. Aí tem a famosa Praia de Ponta Negra com o Morro do Careca no final, que é o principal cartão-postal da cidade. Mas quer saber a verdade sobre ela? É terrível! Feia, desorganizada e farofada.. Eu não curti.

Isso é Ponta Negra
Pra piorar a situação, os funcionários do nosso hotel estavam alertando todos os hóspedes a não caminharem na praia além do Morro do Careca, já que os assaltos são certos naquela região.


No fim, acho que o legal mesmo é usar Natal como base para fazer os passeios para outras praias da região. Pipa eu já falei no post anterior que acho que não vale a pena fazer bate-volta pois merece ser visitada com calma.

Assim sendo, pra começar a explorar a região é bom saber que o litoral do Rio Grande do Norte é dividido entre sul e norte, usando Natal como base dessa divisão.

Litoral do Rio Grande do Norte
Vou começar falando pelo litoral sul imediatamente após Natal. Essas praias costumam ser o refúgio dos natalenses nos finais de semana, por isso recomendo evitar a visita à praia nesses dias pois costumam ficar cheias.

Pirangi


Fica a 15km de Natal e é cortada pelo Rio Pirangi, o que a faz a praia ser dividida entre Pirangi do Norte e do Sul. É famosa por abrigar o maior cajueiro do mundo (programinha mais pega-turista não há).

Pirangi
Nessa praia eu não parei e nem fiz nenhum registro porque não achei o visual muito legal. A praia é bem urbanizada e a maré já estava cheia, o que deixou a praia um pouco sem graça. Sobre o cajueiro, só passei pela frente e vi que era grande mesmo. Mais do que suficiente.

Búzios


Praia de mar aberto com muitas ondas e por isso é reduto dos surfistas. Também há muitas construções na beira da praia (casas de veraneio e quiosques) o que fez eu não me animar muito em fazer uma parada nela.

Praia de Búzios
Entre Búzios e Pirangi, há uma enseada com águas mais calmas chamada Pirambúzios.

Barra de Tabatinga


Um pouco mais simpática do que as outras vizinhas. A praia tem águas calmas e é rodeada pelas falésias. Aqui fica o Mirante dos Golfinhos, onde dizem ser possível avistá-los. Quando eu fui, não vi nada, mas achei a vista bem interessante.

Mirante dos Golfinhos
Búzios ao fundo

Camurupim


Fica a 30km de Natal e é sem sombra de dúvidas a melhor praia da região. Intercala alguns trechos com quiosques e casas de veraneio com outros sem nenhuma construção.

Nessa praia as pedras foram um arrecife natural que garante uma grande piscina perfeita para o banho de mar. Pra melhorar a situação, quando a maré enche e ultrapassa as pedras, formam-se cachoeiras sensacionais.

Camurupim
Piscinão só nosso
Chacoeiras em Camurupim

Lagoa do Carcará


O município de Nísia Floresta que fica a 40km de Natal, possui mais de 20 lagoas em seu entorno. No entanto, as mais interessantes para os turistas é a de Arituba e a do Carcará. Eu não visitei a de Arituba mais por falta de tempo. Pelo o que vi nas fotos e ouvi falar dos guias locais é uma lagoa bonita, boa pra banho e conta com uma boa estrutura de quiosques.

Já a Lagoa do Carcará, essa eu posso dizer com propriedade: é linda! Tem água doce e cristalina, tipo Caribe. Ao seu redor existem pouquíssimas construções e um pequeno trecho com alguns poucos quiosques, que são bem simples e servem comida boa e honesta. Neste trecho é que costumam ficar os poucos turistas que se aventuram a chegar lá.

E aí, será que vale a pena?
Antes de ir, havia lido que era muito difícil chegar nessa lagoa já que os guias locais tiravam as placas de sinalização para obrigar os turistas a contratá-los. Mas como somos adeptos de um bom desafio, decidi que chegaria nela de qualquer jeito.

Coloquei a rota no Waze e ele nos levou até o destino sem nenhuma complicação. As estradas de acesso são de terra mas podem ser percorridas de carro comum tranquilamente. No caminho, cheguei a ver algumas placas de sinalização pra lagoa, mas confesso que sem a ajuda do Waze seria muito mais difícil chegar lá.

Vamos às imagens que estas valem mais do que qualquer palavra:

Sossego total na Lagoa do Carcará
Apenas recomendo!
Uma dica preciosa que devo passar: não visite a lagoa nos finais de semana. Ela é frequentada basicamente pela população local e costuma ficar lotada. Eu fui numa segunda-feira e em alguns trechos pude notar (infelizmente) uma grande quantidade de lixo deixada às margens da lagoa na festança do domingão. 

Litoral Norte


Ir pra Natal e não fazer o passeio de bugre pelo litoral norte é como ir ao Rio e não ver o Cristo Redentor. O passeio é muito bacana e vale muito a pena. Ele passa por nove praias: Redinha, Santa Rita, Genipabu, Graçandu, Barra do Rio, Pitangui, Jacumã, Porto Mirim e Muriú. Além de incluir também o Aquário de Natal, Lagoas de Genipabu, Pitangui e Jacumã. Ou seja, passeio pra um dia todo!

Como o relato desse passeio ficou bem grande e detalhado, resolvi escrever um post especial - Passeio de Bugre em Natal.

Genipabu
Outros passeios que são comercializados usando Natal como base:

Parrachos de Maracajaú e Perobas


Maracajaú fica a 60km de Natal, sentido litoral norte, Perobas uns 15km adiante. As duas praias são famosas pelas piscinas naturais, chamadas por aqui de parrachos, e que ficam a 7km em alto mar. O acesso é feito através de barco ou lancha  e o passeio só pode ser feito em maré baixa. É figurinha fácil nos pacotes vendidos nas agências de turismo.

Parrachos 
Não me animei muito em fazê-lo pois pelas fotos da internet só vi aquele peixinho listrado amarelo com cinza que tem em qualquer piscina natural.. Muito sacrifício pra pouco. Mas acabou que no final acabei indo para Maracajaú mas não por causa dos parrachos e sim por causa do kitesurf. Isso eu conto no post de São Miguel do Gostoso.

Galinhos


Galinhos fica a 180km de Natal. É uma pequena vila de pescadores, que fica numa península rodeada de dunas brancas. A simplicidade e a beleza do lugar são arrebatadores! Eu fui e amei, mas saí de lá achando que pela distância e pela beleza do lugar Galinhos merece mais que um bate-volta.

Galinhos
Pra saber como foi minha aventura até Galinhos, leia o post Dicas de viagem para Galinhos.

Vida noturna em Natal


Diferente de outras capitais nordestinas, como Salvador e Fortaleza, Natal tem pouca ou quase nenhuma vida noturna.

A diversão se resume à alguns bares e restaurantes em Ponta Negra ou nos bairros de Tirol e Petrópolis.

Rua com lojinhas pra fazer um footing à noite, nem pensar! É voltar da praia, tomar um banho, comer e dormir..

Dicas Gerais


Minha passagem por Natal foi relâmpago porque já imaginava (e confirmei) que Natal em si é bem sem graça. Praias urbanas, cidade, prédios, trânsito.. Tudo aquilo que eu fujo quando estou de férias.

Ainda assim, acho que Natal merece a visita.. tem que ir pra ver.

Pra quem sempre pensa em compras durante as viagens de férias preciso avisar que o artesanato de Natal é horrível! Pobre, sem criatividade nenhuma.. repetição das mesmas coisas de sempre: nega maluca, aquele conjunto de galinhas d'Angola, Bob Marley.. Em Ponta Negra existem alguns centros comerciais com várias lojas de artesanato mas é tudo pegadinha.. Saí de lá sem comprar nada!

Para curtir todas as fotos da minha trip, acompanhe no Instagram em #reviajarn

**Data da viagem: setembro/2014

Mais sobre a viagem do Rio Grande do Norte




Nenhum comentário

Postar um comentário