28/10/2016

Dicas para as Cachoeiras da Chapada dos Veadeiros - parte II


dicas cachoeiras chapada dos veadeiros
Só na vibe boa..

Continuando com a série de dicas de como visitar as melhores cachoeiras da Chapada dos Veadeiros, neste segundo post vou mostrar um pouco das cachoeiras que ficam em propriedades privadas e por isso, possuem a entrada paga. Lembrando que a Chapada tem inúmeras cachoeiras em propriedades particulares e aqui vou falar apenas das que visitei. Tenho certeza de que há muito mais a ser descoberto na região.

Como disse no post anterior, seja qual for o motivo que te leve à Chapada dos Veadeiros um coisa é certa: a boa é curtir as cachoeiras da região, seja pra refrescar (ou até passar frio 😅), reenergizar ou apenas contemplar a força da natureza, que foi tão generosa nessa região.

Abaixo segue um mapa turístico da região pra ajudar a dar uma situada sobre as cachoeiras de que vou falar a seguir.

Pra dar uma situada

Vale da Lua

O Vale da Lua é uma incrível formação geológica de pedras que se assemelham ao solo lunar. Tá ok, eu nunca fui à lua pra saber como é lá mas faz de conta que é assim! Rs. O Rio São Miguel passa por dentro dessas pedras, formando poços e pequenas quedas incríveis.

vale da lua chapada dos veadeiros
Chegamos na lua!

A trilha, com 600m de extensão, é bem fácil de percorrer, tem degraus e corrimão em alguns trechos. Já no trecho das pedras, é importante ficar atento para a sinalização. É super importante respeitá-la pois já aconteceram acidentes fatais nessa cachoeira.

vale da lua chapada dos veadeiros
Olha que água cristalina!

O Vale da Lua é um dos locais mais famosos da região, portanto o mais visitado também. Se possível, evite ir nos finais de semana e feriados. Eu fui num domingo e a lotação estava tensa. 

A estrutura da fazenda é bem interessante. Há lanchonete, um amplo estacionamento e banheiros.

vale da lua chapada dos veadeiros
Secrets spots

Pra visitar o Vale da Lua, metade do dia é suficiente. Por isso a boa é combinar com outra cachoeira de fácil visitação como Morada do Sol, Raizama, Águas Termais, São Bento e Loquinhas.

Distância de carro de Alto: 30km de asfalto + 5km de terra
Distância de carro de São Jorge: 6km de asfalto + 5km de terra
Distância de trilha: 1200m (ida e volta)
Nível: fácil
Tempo de visitação: Metade do dia
Preço: R$20

Almécegas

Almécegas, na verdade é um complexo de 3 cachoeiras localizadas na Fazenda São Bento. São elas: Almécegas I e II e São Bento. Aliás, a fazenda é uma graça, super bem organizada e possui pousada e restaurante no local.

A cachoeira que possui acesso mais fácil é a São Bento, que eu achei uma das mais bacanas. Basta estacionar o carro após a guarita da fazenda e fazer uma leve caminhada de 300m. 

Tem um poço enorme pra banho, uma pequena queda e uma caverna alagada do lado direito. Por ser a de mais fácil acesso, é a que fica mais cheia também.

cachoeira sao bento chapada dos veadeiros
Cachoeira São Bento

Seguindo a estrada de carro até o final chega-se ao estacionamento de Almécegas II. Uma curta caminhada de 300m te deixa de cara com a cachoeira. A queda tem tamanho médio e o poço pra banho é bem grande.

almecegas chapada dos veadeiros
Almécegas II

almecegas chapada dos veadeiros
Poço de Almécegas II

Já Almécegas I requer um pequeno sacrifício. Tem que seguir por uma trilha de 3km (ida e volta). Seria super fácil se não fosse uma baita subida entre as pedras que te faz perder um pouco do fôlego quando se chega ao topo. Mas o sacrifício logo será recompensado..

A chegada na cachoeira é pelo alto e o dono da fazenda construiu dois grandes decks de madeira para apreciar a linda vista. A queda é enorme e tem um bom poço pra banho também. Pra chegar na base da cachoeira é preciso encarar uma descida daquelas! Como o meu dia havia sido muito puxado, preferi admirar a cachoeira de um dos mirantes e acabei não descendo.

almecegas chapada dos veadeiros
Almécegas I

Em Almécegas I não bate muito sol, então é uma das cachoeiras mais geladas da região. Tanto que há uma brincadeira entre os locais que dizem que há três tipos de temperatura de água na Chapada: gelada, muito gelada e Almécegas.

A Fazenda São Bento conta com outras atividades como rapel na Almécegas I e a Tirolesa Voo do Gavião. Mais informações aqui. Dá pra passar um dia inteiro por lá. Quem quiser conhecer só as cachoeiras mesmo, até dá pra combinar com outra cachoeira de visitação rápida que fique próxima, como o Vale da Lua, por exemplo. 

Distância de carro de Alto: 8km de asfalto + 5km de terra (até Almécegas II, a cachoeira mais distante)
Distância de carro de São Jorge: 28km de asfalto + 5km de terra 
Distância de trilha: São Bento e Almécegas II = 600m (ida e volta) / Almécegas I = 3km (ida e volta)
Nível: fácil a médio
Tempo de visitação: Quase o dia todo. 
Preço: Pra visitar somente São Bento, R$10. Pra visitar as três, R$30.

Raizama

Se alguém me perguntasse se tem alguma cachoeira-pegadinha na Chapada eu responderia rapidamente: Raizama! Não que ela seja feia, pelo contrário. Mas é daqueles lugares que tem mais fama do que beleza.

O acesso até a Raizama é fácil. Até chegar no rio a trilha é bem tranquila. Porém ao chegar no trecho das pedras, achei a estrutura muito precária. As escadas estão caindo aos pedaços, os corrimões não são nada seguros. E pra piorar, a cachoeira fica num vale, meio abismo, que qualquer queda seria fatal. Na verdade, a Raizama me deu medo! Pronto, falei!

raizama chapada dos veadeiros
O abismo da Raizama

raizama chapada dos veadeiros
Uma foto pra favorecer o local

Outro fator que achei que não contribui com o local: quase não bate sol.

Mas se você precisa conferir com seus próprios olhos, vá lá. Eu também fui. Pra visitar a Raizama, metade do dia é suficiente. Por isso a boa é combinar com outra cachoeira de fácil visitação como Morada do Sol, Vale, da Lua, Águas Termais, São Bento e Loquinhas.

Distância de carro de Alto: 38km de asfalto + 1km de terra
Distância de carro de São Jorge: 2km de asfalto + 1km de terra
Distância de trilha: 4km (ida e volta)
Nível: fácil
Tempo de visitação: Metade do dia
Preço: R$20

Cachoeira do Segredo

A Cachoeira do Segredo é uma das mais desafiadoras da Chapada. Seu percurso inicialmente tem 6km, ou seja, 12km de caminhada. Seria uma trilha como qualquer outra se não fosse preciso atravessar o rio 13 vezes!

Na temporada de chuvas na região, isso é um baita problemão. Li muitos relatos de gente que foi numa boa e voltou com a água acima da cintura sendo auxiliada por cordas. Tenso não? Mas na temporada da seca, tudo muda de figura. Os proprietários da fazenda abrem um segundo estacionamento 3km à frente do começo da trilha. Daí aqueles 6km do começo, se transformam em apenas 3km! Só que com um pequeno detalhe: tem que atravessar o rio de carro 4 vezes! Achou que seria tão fácil assim né?

cachoeira segredo chapada dos veadeiros
Bora Sandero!!

As travessias do rio com o carro são bem tranquilas, pois o fundo é de pedra, então não corre o risco do carro atolar. Basta engatar a primeira e ir com tudo! Quem não se sentir seguro, tudo bem. Basta deixar o carro estacionado lá no começo e andar os 6km.

A trilha em si já é um atrativo à parte. Ela margeia o rio o tempo todo e as 9 travessias a pé são super tranquilas. O bom é que a caminhada é feita sob as árvores, então o sol não castiga tanto como nas outras trilhas da Chapada.

cachoeira segredo chapada dos veadeiros
Atravessando o rio

No meio da trilha uma grata surpresa. Uma prainha com águas cristalinas já dá uma ideia da maravilha que está por vir. A parada aqui pode ser feita na ida e/ou na volta, você é quem escolhe. O local conta com mesas e bancos para fazer um lanchinho e recompor as energias.

cachoeira segredo chapada dos veadeiros
Prainha

Ao final da trilha o mais surpreendente: a Cachoeira do Segredo! Uma queda de 100m que termina num poço de águas verdes e cristalinas. Linda, imponente mas com uma água gelada de doer os ossos! Mergulho aqui é para os fortes!

cachoeira segredo chapada dos veadeiros
Cachoeira do Segredo

Na Cachoeira do Segredo não bate sol, por isso a água é tão gelada. Mas os fortes que nadam até debaixo da queda relatam que tem um filete de água quente na cachoeira. Eu não arrisquei, então nem posso dizer se é verdade ou não!

Detalhe importante: o ingresso da Cachoeira do Segredo é vendido apenas no centro da Vila de São Jorge. Não dê bobeira de chegar lá sem o seu ingresso.

Se a trilha for de 6km, a visita até a Cachoeira do Segredo é um passeio de dia todo. Se der sorte de pegar a trilha de 3km, dá pra combinar com outra cachoeira de visitação rápida da região, como Raizama, Morada do Sol e Águas Termais.

Distância de carro de Alto: 48km de asfalto + 9km de terra (ou 13km na época seca).
Distância de carro de São Jorge: 12km de asfalto + 9km de terra (ou 13km na época seca).
Distância de trilha: na época da seca: 6km (ida e volta) / na época de chuvas: 12km (ida e volta).
Nível: fácil (o dificultador é a distância).
Tempo de visitação: depende do tamanho da trilha. Longa = o dia todo / Curta (3km) = quase o dia todo.
Preço: R$35

Loquinhas

Loquinhas na verdade é um complexo de poços e pequenas quedas localizada na Fazenda Loquinhas, a apenas 3km do centro de Alto Paraíso.

A estrutura da fazenda é bem bacana e todas as trilhas são feitas em tablados suspensos, facilitando o acesso pra todos os visitantes. As atrações são todas muito bem sinalizadas e todos os poços tem um nome simpático, além de bancos, decks e escadas que levam o visitante até dentro d'água.

Lá é possível fazer duas trilhas. A Violeta que possui 6 poços e a Loquinhas, que possui 7 poços.

loquinhas chapada dos veadeiros
Poço da Vovó

Na época que fui, ouvi muita gente, inclusive lá em Alto Paraíso, me dizendo que não valeria a pena ir até Loquinhas, pois com a seca os poços não estavam bom pra banho. De fato, uma das trilhas, a Violeta, estava completamente seca mas a outra, Loquinhas, ainda que com pouca vazão, tinha poços maravilhosos! Eu teria me arrependido muito se não tivesse ido até lá! Valeu muito a pena!

loquinhas chapada dos veadeiros
Poço do Xamã - o mais lindo!

O que eu mais gostei de conhecer foi o Poço do Xamã, com uma água incrivelmente transparente! E pra quem disse que estava seco, na parte mais funda me cobria tranquilamente (e eu tenho 1,73cm). Então como disse, dá pra aproveitar muito bem o banho por lá.

Pra visitar Loquinhas, metade do dia é suficiente. Por isso a boa é combinar com outra cachoeira de fácil visitação como Cachoeira dos Cristais, Vale da Lua e Almécegas.

Distância de carro de Alto: 5km de terra
Distância de carro de São Jorge: 36km de asfalto + 5km de terra
Distância de trilha: 1,6km(ida e volta)
Nível: fácil
Tempo de visitação: Metade do dia
Preço: R$22

Poço Encantado

A Cachoeira do Poço Encantado fica na estrada para Cavalcante e tem um dos acessos mais fáceis de toda a Chapada. Do estacionamento dá até pra vê-la. Pra quem viaja com crianças, essa cachoeira é uma mão na roda!
cachoeira poço encantado chapada dos veadeiros
Vista do estacionamento

Além do acesso fácil, por uma curta trilha de 200m, a propriedade conta com uma estrutura muito bacana: pousada, restaurante e bar, todos com vista pra cachoeira. 

cachoeira poço encantado chapada dos veadeiros
Ponte suspensa pra animar a criançada

Já na cachoeira propriamente dita, há uma praia, bar e até salva-vidas! O poço da cachoeira é bem profundo, mas pra quem não quiser arriscar nadar até debaixo da queda, a parte mais clara é bem rasinha e dá pra aproveitar bem.

cachoeira poço encantado chapada dos veadeiros
Prainha no Poço Encantado

Como o Poço Encantado fica bem distante de Alto Paraíso, acho que só vale a pena a parada numa ida à Cavalcante. Mesmo assim, pra quem vai fazer bate-volta pra conhecer Santa Bárbara, nem vale a pena parar na ida. Só se sobrar tempo na volta.

Distância de carro de Alto: 52km de asfalto
Distância de carro de São Jorge: 88km de asfalto
Distância de trilha: 400m (ida e volta)
Nível: fácil
Tempo de visitação: Metade do dia
Preço: R$20

Contratação de guia: obrigatório ou dispensável?

Muito se fala da necessidade / obrigatoriedade de contratação de guia para visitar algumas das cachoeiras da Chapada. Eu até acho bacana a ideia da contratação pelas informações técnicas que o guia pode passar, por se tratar de uma pessoa local que pode enriquecer sua experiência naquela cidade ou ainda caso aconteça um perrengue qualquer é ele quem vai ajudar a sair da situação, mas tecnicamente falando achei desnecessário para todas as trilhas que fiz.

Há que se considerar também que sou uma pessoa um pouco desenrolada. Tenho bom senso de direção, não tenho dificuldade na hora de caminhar entre as pedras. Pelo contrário, sou daquelas que vai lá na frente puxando a fila - rs. Sei que há pessoas que não são tão desenroladas assim. Mas aí vai de cada um saber em que perfil se encontra e como se sente mais confortável para encarar as trilhas.

Além disso, visitei a Chapada na época seca, quando não há riscos maiores de chuvas, trombas d'água, trilhas escorregadias etc. Com certeza isso facilita e muito a vida do turista que visita a região.

Considere também que a contratação de um guia aumenta o custo da viagem. A diária de um guia custa R$150,00. Longe de mim diminuir o valor do trabalho deles, já que é uma função que exige preparo, estudo e muita responsabilidade. Mas olhando do ponto de vista financeiro, somando a diária do guia mais a entrada das cachoeiras, o custo da brincadeira pode ficar pesado!

Por isso é muito importante avaliar bem, pois cada caso é diferente. Pra quem não se sente confortável em fazer trilhas desacompanhados, pode ser uma economia que não compensa. Eu, particularmente, não senti falta de guia, mas para outras pessoas, um seria indispensável. A dica é essa: avalie.

Dicas Gerais

- Prefira fazer as trilhas de tênis ou sapatilhas de neoprene (mais fácil pra molhar). Fazer trilha de chinelo até dá, mas é perrengue, principalmente se arrebentar no meio do caminho.

- Proteger-se do sol é importantíssimo. Reforce o protetor solar e proteja a cabeça com um boné, chapéu, viseira etc.

- Ter um repelente em mãos também é bom.

- Levar água e lanchinho é fundamental. Levar seu lixo de volta mais ainda!

- Ao ver um grupo se aproximar na trilha, dê passagem. Não é que os outros sejam "apressadinhos", é que o ritmo de caminhada deles está mais forte que o seu, só isso. Cada um vai no seu ritmo, lembra?

-  Ficar atento onde pisa ou apoia as mãos é muito importante. Por se tratar de uma região de mata, é muito fácil encontrar animais peçonhentos. Eu não vi nenhum, ainda bem. Mas o risco é real.

- Outras cachoeiras em propriedade privadas que não tive oportunidade de visitar: Cristais, Macaco e Macaquinho, Anjos e Arcanjos, Encontro das Águas, Morada do Sol, Vale Dourado e Águas Termais. E com certeza, tem muito mais a descobrir pela região!


Mais sobre a Chapada dos Veadeiros

Dicas de viagem para a Chapada dos Veadeiros
Onde se hospedar na Chapada dos Veadeiros 
Melhor época para visitar a Chapada dos Veadeiros 
Dicas para as Cachoeiras da Chapada - parte I
Dicas pra conhecer a Cachoeira de Santa Bárbara

*Data da viagem: agosto/2016



0 comentários:

Postar um comentário