05/10/2014

Dicas de viagem para Canoa Quebrada


Chegamos em Canoa!

Canoa Quebrada marca o início de minha "expedição" no Ceará. Essa simpática vila, que pertence à cidade de Aracati foi uma vila de pescadores que ganhou fama a partir dos anos 70 quando um grupo de hippies descobriu a energia mágica deste lugar. Com a combinação perfeita de dunas, falésias e clima nordestino (sol + vento), Canoa não poderia ficar de fora do roteiro da minha trip pelo Ceará.

A fama de Canoa Quebrada estourou Brasil a fora lá pelo fim dos anos 80 e início dos 90. Eu sempre ouvia meus pais e seus amigos falarem das maravilhas de lá e da vontade de conhecer esse lugar. E, mesmo indo à Fortaleza em 1992, quando eu ainda era uma criança, não tivemos a oportunidade de visitar Canoa. 

Assim fiquei com essa pulga atrás da orelha por anos e anos (tá aí a prova de que o espírito viajante habita em mim há muito tempo). Agora, mais crescidinha, chegou a vez de conhecer mais esse destino tão bacana do nosso Brasil.

A minha viagem

Canoa foi a minha primeira parada na roadtrip de 15 dias pelo Ceará. Cheguei na cidade no final de uma sexta-feira pra aproveitar o final de semana por lá. Por ser baixa temporada a cidade estava bem tranquila e consegui aproveitar bem nesses dois dias. 

Na segunda-feira parti para a segunda parada da roadtrip: Morro Branco.

Como chegar

Canoa Quebrada fica à 165 km de Fortaleza, na chamada Costa do Sol Nascente, sentido leste do litoral do estado.

Saindo de Fortaleza, dá pra chegar lá de todo jeito: carro, ônibus (turísticos e linhas regulares), táxi, transfer etc.

Mapa do litoral leste do Ceará

Eu aluguei um carro no aeroporto de Fortaleza e de lá segui para Canoa pela CE-040. A estrada estava em perfeitas condições: asfalto novo, pista duplicada e bem sinalizada. Não demoramos nem 2 horas pra chegar lá.

Quando ir

Canoa Quebrada e o resto do Ceará seguem a tendência climática de todo o nordeste: estações invertidas. Chove muito no verão e o inverno é seco e quente.

Eu fui no mês de agosto e peguei sol e muito calor todos os dias. Foram 15 dias de sol estilo racha-coco.

Hospedagem

Eu embarquei nessa roadtrip com pouca coisa programada. Não fiz nenhuma reserva de hotel e deixei pra decidir na hora onde ia me hospedar. Mas esse esquema só funciona na baixa temporada, quando a cidade está vazia. Pra quem pretende visitar Canoa na alta temporada, recomendo que vá com a pousada reservada pra evitar perrengue.

Escolhi então a pousada Por do Sol, que era de um coroa francês, meio hippie, super simpático e muito figura. Cheio de história pra contar, fazia graça de tudo. A pousada era bem simples, mas limpa e honesta.  Perfeita para os nossos planos.

Pra consultar as opções de hospedagem em Canoa Quebrada, clique aqui. Mas lembre-se sempre de ficar atento às avaliações, ok? 😉


De rolé por Canoa

No dia seguinte era dia de sair pra explorar Canoa. E que lugar bacaninha! 

A praia na frente da vila não é muito boa, pois tem um monte de quiosques com música alta e aqueles vendedores super insistentes e chatos.

A boa é sair andando para o lado direito pois como não tem quiosques, a praia fica mais sossegada, além de mais simpática também. Desse lado da praia é onde ficam os famosos painéis nas falésias que são o símbolo de Canoa. São 3 ao todo. 


Canoa Quebrada

A vila de Canoa ao fundo

Diversão da galera local: corrida de mini jangada

Mas o motivo inicial da viagem era fazer uma kitetrip, então no final do dia rolou um velejo de leve pra inaugurar o brinquedo novo.

Kite em Canoa

Pôr do sol em Canoa

Um programa imperdível de Canoa é assistir ao pôr do sol na duna. Deste lado do estado do Ceará, o sol se põe no continente, mas ainda assim é também muito bonito. 

Parece um evento na cidade com hora marcada, todo mundo corre pra Duna do Pôr do Sol. Aí, além do visual irado, ficam uns caras fazendo graça dando mortal na duna, tem gente que bate palma pro sol.. É um acontecimento na cidade. Tem que ir pra conferir.

Por do sol na duna

Noite em Canoa

A noite em Canoa acontece basicamente na Broadway. É uma diversão bem peculiar, digamos. São vários bares, um do lado do outro, cada um com um tipo de música (brega, forró, arrocha etc) no volume máximo. Eu como estou acostumada com os costumes nordestinos não estranhei, já o maridão, carioca que só, achou meio esquisito. Mas tudo é festa, borá lá. Se você não conhece esse esquema de "farra" nordestina, esteja preparado para ver coisas bem diferentes.

Ainda no quesito “nightlife”, o lugar que mais bomba é o quiosque de praia chamado Freedom, cuja especialidade é o reggae. A gente não teve oportunidade de ir, mas dizem que o negócio lá é bom e bomba mesmo. E a boa mesmo é o reggae de domingo. Imagina, uma noite de reggae roots à beira mar neste paraíso?

Barraca Freedom. Também funciona de dia

Impressões Gerais

Eu curti muito Canoa Quebrada e acho que estando de passagem pelo Ceará tem que dar um pulo até lá pra conhecer. Até porque a logística pra chegar é muito tranquila: é fácil e rápido. Diferente de Jericoacoara.

É um lugar onde tem opção para todos os tipos de bolsos. Dá pra gastar pouco e ficar bem como foi o meu caso.

Pra conhecer a cidade, dois dias são mais que suficientes.

Optei em não fazer o famoso passeio de bugre, pois achei o valor cobrado muito caro só pra seguir reto numa praia sem fim. Por isso fiquei de rolé na área só com o carro alugado mesmo. No fim do domingo fiquei sabendo pelos locais que de carro comum, poderia ter ido à uma lagoa maneira entre as dunas que fica próxima de Canoa. Mas aí já era tarde.. fica pra próxima.

Outros posts da viagem pelo Ceará:

Morro Branco: entre garrafinhas de areia colorida e labirintos
Fortaleza: a capital cearense
Flecheiras: surpresa da viagem
Jericoacoara: o paraíso é aqui (inclusive do kite!)


**Data da viagem: agosto/2010





0 comentários:

Postar um comentário