05/10/2013

Roteiro de viagem para a Riviera Maya


Olha nós aí no México!

Quando pensei em ir ao Caribe pela primeira vez, haviam dois destinos que eu tinha certeza de que não queria ir: Punta Cana e Cancún. Essa revolta toda por casa de um motivo muito simples: lugares em que o esquema é ficar engessado num resort não me atraem. Até que.. ganhei uma viagem pra Riviera Maya. Dizem que de graça até ônibus errado. E até resortão em Cancún também, porque não? 

Daí comecei a pesquisar sobre o destino com um pouco mais de carinho e atenção e descobri que a região oferece muitas atrações bacanas: praias paradisíacas com água quentinha, ruínas maias que contam um pouco da história do país, os cenotes e suas lindas cavernas, parques temáticos, mergulho em piscinas naturais, com golfinhos.. Nossa, é tanta coisa pra fazer que tive que me render: sim, me apaixonei pela Riviera Maya! 

A minha viagem

O presentão incluía aéreo e hospedagem e quando a esmola é demais o santo desconfia: a viagem seria no final de setembro! Pra quem não sabe, setembro e outubro são os meses do auge da temporada de furacões no Caribe. Ai que medooo!!
 
Mas como a sorte fecha comigo, não passou nenhum furacão por lá e deu pra aproveitar muito bem nossa estadia. Dos oito dias que passei por lá, peguei uns dois dias chuvosos apenas, nos outros dias muito sol e calor.

A hospedagem incluída no pacote eram de 4 dias em um resort em Puerto Morelos, a uns 30 km de Cancún. Pensei que já que ia pra tão longe sem pagar nada, melhor esticar e aproveitar mais um pouquinho. Então pedi pra agência antecipar a passagem de ida (sem custo) e com isso tive um pouco mais de tempo pra explorar melhorar a região. 

O que posso dizer sobre a Riviera Maya é que eu estava completamente enganada. A Riviera é muito mais do que Cancún. Aliás, só fui à Cancún no dia que choveu pra ir ao shopping (única coisa que dava pra fazer com chuva né?) senão, talvez nem iria, já que tinha tanta coisa bacana pra conhecer naquela região! 

Descomplicando..

A Riviera Maya é o nome bonito que arrumaram para o estado mexicano de Quintana Roo. Todo seu litoral é banhado pelo mar do Caribe, o que é garantia de praias lindas.

Quintana Roo

Pra explicar de uma maneira bem simples como é a Riviera Maya, pense na Região dos Lagos no Rio de Janeiro. Cancún seria Cabo Frio e Playa Del Carmen, Búzios. Não preciso nem dizer qual lugar que eu mais gostei: Playa disparado!

Não bastasse a cidade ser gracinha, Playa Del Carmen é o lugar ideal pra quem pretende explorar a Riviera Maya já que sua localização é central, facilitando muito mais os deslocamentos pela região. Outro facilitador é que o catamarã pra Cozumel parte daqui, então montando base em Playa, dá pra ganhar tempo e chegar bem cedinho na ilha.

Dá uma olhada na explicação do Viaje na Viagem pra Riviera Maya. Foi a partir daí que tomei a decisão acertada de montar base em Playa.

Hospedagem

Nessa viagem fui do lixo ao luxo! Como resolvi antecipar a ida, (e claro, os gastos eram por minha conta) me hospedei em um hotel super simples em Playa del Carmen. Depois fui pro resort com tudo incluído (e tudo pago) em Puerto Morelos.

Ainda seguindo as dicas do Viaje na Viagem, em Playa fiquei no hotel Barrio Latino. O hotel é bem honesto: simples, limpo, bem localizado com internet e estacionamento. O café da manhã era bem fraquinho mas tinha geladeira no quarto, então deu pra rolar um reforço básico.

Um ponto super positivo do hotel: os funcionários. Sempre solícitos, deram várias dicas excelentes de restaurantes bons e baratos e graças a eles, não caí em nenhuma pegadinha pra turista (e isso lá tem aos montes). Pra quem quiser uma opção simples, barata e honesta, super recomendo o hotel.

Pra consultar outras opções de hospedagem em Playa Del Carmen, clique aqui.

Já em Puerto Morelos, (no esquema 0800) fiquei hospedada no Ocean Coral & Turquesa. O resort era muito bom, pena que a praia na frente estava bem caída: mar turvo e cheio de algas, nem parecia que eu estava no caribe! Foi azar.. porque depois li que este é um fenômeno que rola com certa frequência na região.

Pra consultar outras opções de hospedagem em toda a Riviera Maya, clique aqui. Mas lembre-se sempre de ficar atento às avaliações, ok? 😉

http://www.booking.com/searchresults.html?region=2612&aid=1256661&no_rooms=1&group_adults=1

 Transporte

A Riviera Maya é um lugar pra ser explorado e não pra ficar dentro da piscina do hotel. As distâncias entre as atrações são bem longas e a estrada que liga todas elas é muito boa e bem sinalizada. Logo, a opção de alugar carro aqui cabe direitinho. Eu aluguei com a Europcar de Playa Del Carmen  e correu tudo bem até o final da viagem.

Quem não puder ou não quiser alugar um carro, vai depender basicamente das excursões vendidas nos hotéis. Quem for mais independente e aventureiro, acho que dá pra se virar também com os ônibus da empresa ADO que leva para as principais atrações da Riviera e a frota conta com ônibus novos com ar condicionado.

O que me chamou atenção dirigindo pelas estradas do México, foi a quantidade de polícia na estrada e nas cidades. E eles andam com armamento pesado, mascarados.. um visual bem sinistro. 

Antes de ir, li muitos relatos de pessoas que foram extorquidas pela polícia de lá. Isso é triste, mas acontece de verdade. Eles param os turistas na estrada principal, alegam que eles estavam em alta velocidade, tocam um terror básico e só liberam depois de que o turista libera a grana. Tenso.. Na estrada tem uns três postos oficiais da polícia e rola blitz todo dia, toda hora. Eles param os carros aleatoriamente e revistam tudo. Nos pararam em uma, das muitas vezes que cruzamos a estrada. Pediram a carteira de motorista e quando viram que éramos brasileiros foram até bem simpáticos. Revistaram todo o carro e nos liberaram numa boa. Sorte.

De rolé pela Riviera

Como já disse, fiquei apenas oito dias na Riviera Maya e constatei na prática que foi pouco tempo. Como tem muita coisa bacana pra fazer por lá e ainda perdi um dia com a chuva, alguns programas ficaram de fora. Mas ainda assim, deu pra curtir demais. Vou explicar como dividi os dias. Se você for com pouco tempo como eu e quiser explorar a área, meu roteiro pode ajudar:

Dia 1

Fiquei em Playa pra descansar da viagem que foi super cansativa. Playa, só tem uma "playa" mesmo, que começa a ficar boa depois do beach club Mamita's.

Trecho da praia antes do Mamita's

Depois do Mamita's..

Dia 2

Tulum e Playa Paraíso na parte da manhã. Achei Tulum bacana demais. Foi uma das cidades mais importantes da antiga civilização Maya pois era a única cidade portuária. Foram as únicas ruínas que eu consegui encaixar no roteiro. Mas pra quem não é arqueóloga, tá bom também. 

A entrada do parque das ruínas é paga, lembro que não era caro. Recomendo muito chegar cedo no parque por dois motivos: um é que o local enche de turistas, são muitos e muitos ônibus. E o outro é o calor. Fica difícil caminhar pelas ruínas com o sol forte na cabeça. 
Ruínas

Vai dizer que meus primos não moravam bem?

Depois das ruínas a praia é linda e uma só, que vai mudando de nome em cada trecho, ache um lugar tranquilo e esqueça da vida.

Playa Paraiso

Lá vem a chuva!

De tarde, com a chuva devidamente instalada em Tulum, fui bater perna no shopping Plaza Las Américas em Cancún. Com chuva não há muito o que fazer.

Dia 3

Com o sol de volta, parti pra conhecer Akumal e quem sabe tentar nadar com as famosas tartarugas de lá. O aluguel do material de mergulho não era muito barato não, tipo pegadinha de turista. Mas já estáva lá né.. fazer o quê?! Pelo menos as tartarugas não eram pegadinha e elas estavam lá mesmo.. foi um mergulho muito bacana.

Akumal

Mais uma de Akumal

La tortuga de Akumal

Depois de nadar com las tortuguitas, hora de deixar Akumal. Fui a uma lagoa de água salgada chamada Yal-ku que ficava próximo dali. Em algum lugar li que a entrada era paga, mas não me cobraram nada pra entrar. É uma espécie de parque, com várias esculturas espalhadas e com algumas mesas pra fazer pic-nic. É bonita mas eu não achei assim tão interessante, é mais do mesmo.

Laguna Yal-ku 

A área é bem grande!

E por último fui a uma praia incrível e pouquíssimo visitada pelos turistas: Xcacel (dica da galera do hotel). É uma praia do governo e portanto não é habitada. Há apenas uma sede do programa de proteção às tartarugas marinhas já que a praia é ponto de desova. Cobra-se apenas 10 pesos por pessoa para entrar e é permitido utilizar a estrutura da sede (banheiros e chuveiro).

A praia é linda demais! Ainda tem um pequeno cenote atrás da praia. Fica a 7km de Akumal (sentido Tulum). Não é tão simples chegar nela já que na estrada não tem placa indicando a entrada da praia neste sentido, a placa fica apenas no sentido Cancún, e é bem apagada. É importante levar aguá pois lá não tem nada pra vender.

Xcacel

Linda, não?

O cenote Xcacelito

Sábias palavras..
Dia 4 

A chuva voltou com força total nesse dia. Saí em direção à rota dos cenotes na esperança do tempo abrir, mas isso não aconteceu. A chuva apertou e fui de novo para Cancún, onde o tempo estava melhor - apenas nublado, e conheci a zona hoteleira, o shopping La Isla e o Mercado 18. Dia de poucas fotos.

Cenote Cristalino

Vista nublada do shopping La isla

Dia 5

Tempo louco e o sol voltou com força total. Voltei à rota dos cenotes para finalmente conhecer um deles. Aqui são vários, um do lado do outro e na estrada é possível ver as placas sinalizando as entradas. A maioria dos cenotes são abertos, como se fosse uma grande piscina. Apenas os cenotes Dos Ojos e Chak Mool são fechados e com cavernas. 

Optei por mergulhar em um cenote fechado, o Dos Ojos, que é espetacular. São 2 cenotes semi-fechados que com a entrada da luz do sol forma um efeito incrível na água. O 3º cenote é totalmente fechado e chamado de Bat Cave (sim, é cheio de morcegos lá dentro). 

Paguei 400 pesos/pessoa pelo mergulho guiado com direito ao material (snorkel, pé de pato, lanterna e colete). Foi meio carinho mas valeu cada centavo pois foi incrível! E antes que você pense que é perigoso entrar na caverna, relaxe, o mergulho é bem tranquilo e não oferece perigo. Em nenhum momento fiquei submersa e os guias são locais (o cenote fica dentro de uma comunidade indígena/maia), ou seja, eles conhecem muito bem o lugar e não há nenhuma chance de se perder. O único perigo é dar uma cabeçada numa estalactite, fique esperto.

O que é isso?!

Tem um cara lá embaixo!

Do lado de fora da caverna

Dia 6

Bate-volta em Cozumel. Fiz um post sobre essa empreitada aqui.

Dia 7

No último dia em terras mexicanas eu decidi que queria nadar com golfinhos. Lá existem diversos parques de mergulho com golfinhos e não há variação de preço entre eles. Eu escolhi um parque que fica em Puerto Aventuras que é uma espécie de condomínio de bacanas. Lá todas as casas ficam na beira de canais onde é possível deixar o seu iate estacionado. Aham.. 

O parque chamado Dolphin Discovery, aproveitou esse esquema de canais pra montar os tanques de mergulho e dá pra circular a pé entre alguns deles. Pensei que se eu conseguisse ir em um desses tanques de fácil acesso, o maridão ia poder tirar fotos à vontade e eu não ia cair na pegadinha das fotos com os golfinhos, onde uma foto custa US$30!!

Então, passei lá cedinho e comprei o ingresso para às 15:30h (último horário) e fui para Xcacel aproveitar o dia até dar o horário do mergulho. 

Dá pra ficar bem pertinho

Aaah.. tão bonitinho, não é?!

Mas antes, mi Xcacelita querida

Lá vem a tormenta!

É.. mas na hora do mergulho com o golfinho eu não dei sorte e o meu tanque foi o mais distante de todos! As fotos do maridão ficaram horríveis! Hahaha, faz parte né.. a gente tenta, fazer o quê?! Mas isso não invalidou a experiência incrível de estar tão perto desses animais fantásticos! 

Tá, ok, eu fico com um pouco de peso na consciência pois sei que é uma forma de exploração dos pobres e indefesos golfinhos que são treinados à exaustão pra extorquir dinheiro (e não é pouco) de nós, turistas bestões. Mas enfim, não é por causa do meu boicote que esse comércio vai acabar, então.. saí de lá feliz da vida!

Dia 8 

Dia de retorno ao Brasil. Foi o dia que tirei pra conhecer um pouco do resort.

Hasta la vista, México..

Impressões gerais:

Sobre o resortão, serviu apenas para confirmar a minha ideia de que essa não é a minha praia. Com tanta coisa bacana pra conhecer do lado de fora eu não ia me enfiar dentro de uma piscina cheia de americanos rosinhas.

Também não fui aos megas parques Xcaret, Xel-há e Xplor. Mais por falta de tempo mesmo. Com pouco tempo preferi conhecer as belezas naturais do lugar e deixei as megas-produções de lado. Mas se tivesse mais dias por lá iria em um deles com certeza. Talvez no Xel-há.

Ruínas Maias: com pouco tempo tive que escolher somente uma delas. Meu interesse principal não era arqueológico e portanto Tulum já matou minha curiosidade sobre o tema. Com mais tempo talvez teria ido à Chichen Itza.

Compras: muita gente fala que Cancún é bom pra fazer compras. Quando pensar em compras vá aos Estados Unidos, o resto é balela. O que é muito bacana de comprar por lá é o artesanato, que é muito original e barato. Para as mulheres, prata.. muita prata.

Voltaria à Riviera Maya?

Com certeza! Além de lindo é um lugar que merece ser visitado com calma e em 8 dias não consegui ver tudo que queria. Ainda faltou ir à um dos parques, visitar Isla Mujeres, Chichen Itzá.. e se ficasse mais tempo descobriria mais coisas legais pra visitar.

México me aguarde, um dia voltarei!


**Data da viagem: setembro/2012

8 comentários:

  1. Ola,

    Não sei se recebeu meu último comentário, mas estou com algumas dúvidas sobre Riviera Maya.
    Pode me auxiliar com algumas dificuldades que estou tendo?

    Obrigado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Gerson,

      Não recebi não.. apenas esse comentário apareceu aqui pra mim. Como poderia te ajudar?

      =)

      Excluir
  2. Olá Renata,
    Eu e minha esposa estamos planejando uma viagem para a Riviera Maya na metade de agosto. O resort que vamos ficar está a uns 10 km ao norte de Playa del Carmen (downtown), mas também queremos aproveitar mais as praias e os atrativos do que o resort!
    Não estamos querendo alugar um carro, então gostaríamos de saber se é possível visitar outras praias e as ruínas, cenotes, etc. de ônibus ou taxi. Saberia dizer se é muito caro??
    Também vimos bastante gente falando sobre a grande quantidade de algas no mar...isso atrapalha para aproveitar as praias?
    Agradecemos desde já e aguardamos sua resposta!
    Gerson e Daniele

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gerson vamos às suas dúvidas:

      Em relação ao transporte, acho pouco provável que o ônibus seja uma opção viável para vc. Os ônibus circulam entre as atrações e a estrada principal e os resorts, em sua maioria, ficam escondidos na beira da praia. A distância é considerável. O meu por exemplo, em Puerto Morelos era acessado através de uma estrada secundária e ficava há uns 15 minutos da estrada principal. Alguns resorts, de tão grande que são, até tem entrada pela estrada principal. Neste caso, talvez eles possuam um serviço de transfer entre a portaria e a sede do hotel.. O ideal para a opção de ônibus é verificar com o hotel se há esta possibilidade.

      O ônibus da empresa ADO funciona muito bem para quem está hospedado em Playa del Carmen pois a rodoviária fica bem no centrinho turístico e portanto de fácil acesso.

      Quanto à táxi, eu não conseguiria te ajudar pois não faço ideia do valor! Mas numa pesquisa rápida no Google encontrei vários sites de empresas que atuam na área. Faça contato com elas pra ter uma ideia de valor.

      Uma outra opção que vocês podem avaliar é fazer os passeios com agência de turismo local. A desvantagem dessa opção, na minha opinião, é estar sempre acompanhado de um grupo grande e com isso perde-se um pouco a liberdade pra fazer certas coisas. Mas pra quem não quer alugar carro num lugar que o transporte público deixa a desejar, é uma opção a ser avaliada.

      Em relação às algas, esse é um tema bastante complicado. Este é um fenômeno comum nesta área do Caribe, chamado Mar de Sargaço. O mar traz, através de correntes marinhas, muitas algas até a beira da praia. Quando fui, em Puerto Morelos tinha bastante alga, a ponto da praia ficar desagradável com o cheiro e a aparência. O mar estava bem escuro, diferente das outras regiões, pois tanto em Cancun (ao norte) e Playa del Carmen (ao sul), não estavam com o mesmo problema e estavam com o mar azul Caribe! Por ser um fenômeno frequente, será questão de sorte (ou azar!).

      No mais, não deixe mesmo de conhecer as belezas naturais da Riviera Maya! Nenhum resort do mundo vale esse sacrifício! Se tiver mais alguma dúvida, não deixa de fazer contato!

      =)

      Excluir
  3. Ola Renata,

    Porque meu comentario consta como removido pelo autor?

    Obrigado

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Gerson,

      Na verdade não foi o seu comentário que foi removido. Na hora de escrever sua resposta, eu postei como um novo comentário e não como resposta ao seu. Desta forma, vc não seria sinalizado que eu respondi o seu comentário. E pra não ficar duas postagens com o mesmo conteúdo, eu apaguei uma delas, entendeu?

      Excluir
  4. As minhas duvidas sao em relacao ao preco para ir ate as ruinas e lagoas. É possivel ir de onibus, ou taxi? Os resorts oferecem este tipo de servico?

    ResponderExcluir
  5. oi pessoal: Cancun realmente é maravilhoso e com muitas atrações. Eis o link de meu blog , ainda em contrução. Já estive em cancun 5 vezes e posso ajudar a quem pretende viajar de forma economica.

    meu email é

    a.marcos.azeredo@hotmail.com

    https://cancun2014.wordpress.com/

    ResponderExcluir