06/10/2013

Dicas de viagem para Los Roques


Bem vindo ao caribe roots!


Escolher meu primeiro destino no Caribe não foi tão difícil. Alguns lugares, aqueles mais famosos, eu já tinha certeza de que não queria ir: Punta Cana e Cancún. A ideia de ficar engessada dentro de uma mega resort nunca me atraiu. E daí com um pouco de pesquisa, acabei topando com Los Roques e de cara pensei: esse é o lugar. Desbravar um arquipélago com quase 40 ilhas, num Caribe totalmente roots perdido na costa da Venezuela me convenceu de cara. Daí foi só começar os trabalhos de pesquisa pra tornar o que era apenas uma ideia, em realidade.

Los Roques é lindo de morrer. Se você me perguntar se vale a pena conhecer, responderei: cada centavo! É um Caribe bem diferente dos outros lugares que conheci depois. É rústico, simples, sem nada fabricado, senão pela própria natureza. Agora tenha em mente que apesar de estar sendo um destino muito divulgado, é um lugar totalmente roots, com estrutura turística bem simples. Não espere encontrar luxo nem sofisticação. É a natureza em seu estado natural (corra enquanto isso ainda existir).

Muitos brasileiros já descobriram o macete das milhas pra Caracas, por isso hoje em dia está bem fácil encontrar dicas e relatos de Los Roques pela internet. Como o cenário na Venezuela é inconstante e a minha viagem rolou em abril/2012, vou omitir alguns detalhes técnicos para evitar dicas desatualizadas (Chavez ainda era vivo quando estive lá). 

Como chegar

O esquema é pegar o trecho Brasil – Caracas com milhas. Por ser um trecho ainda dentro da América do Sul dá (ou dava) pra pegar o trecho por 10.000 milhas. Eu consegui por 12.500 milhas na classe Comfort da Gol. Mas parece que as companhias aéreas já se ligaram nessa malandragem, por que toda promoção de milhas que vejo agora nas letras pequenas estão lá “Exceto: Fernando de Noronha, Caribe e Caracas” (hein??).

Antes de ir pra lá, li muitos relatos de situações tensas em Caracas como golpe na hora de fazer o câmbio, sequestro e assalto de turistas na saída do aeroporto. Confesso que fiquei meio tensa de chegar na terra de Chavez e pela primeira vez resolvi contratar uma agência pra desenrolar tudo pra mim: transfer de aeroporto, hotel de pernoite em Caracas e passagens do teco-teco. Todas as agências brasileiras me cobraram US$2.000/pessoa com tudo incluído (inclusive a pousada em LR). Aí encontrei o contato da Roquemar que é uma agência venezuelana. Mandei e-mails e eles me retornaram metade do preço por casal. Nossa, nem pensei duas vezes e fechei com os caras.

A Roquemar tem uma loja no próprio aeroporto de Caracas e eles trabalham em parceria com a pousada Guaripete em LR. Também pudera, o dono da Roquemar é o Andrea (um italiano gente finíssima) e acho que ele também é um dos donos da Guaripete. A pousada é boa, simples como todas as outras. Mas acho que o grande diferencial é o staff. O pessoal de lá é muito atencioso, faz você se sentir em casa. 

Como fui de Gol, foi preciso pernoitar por lá. Não sei se já existem opções de voo que dispensam esse pernoite (seria uma boa). Em Caracas (ou melhor, em Maiquetía) fiquei no hotel Chipis Beach, reservado pela agência. Deu um certo medo, pois não encontrei nenhuma referência do hotel na internet. Mas chegando lá me surpreendi: o hotel era novo, tudo limpo e organizado. Perfeito pra proposta: um pernoite do lado do aeroporto.

De Caracas até LR não tem jeito, tem que encarar o teco-teco: Chapi Air (avião para 8 ou 12 pessoas) ou Aerotuy (avião para 40 pessoas).

Você chegou no paraíso!

Pra chegar ao paraíso dizem que é preciso passar pelo purgatório e eu comprovei isso indo pra LR. Pra quem acha que o teco-teco não dá medo já aviso logo: realmente não dá medo, dá pânico!!

Fomos de Chapi Air, no avião de 12 passageiros. Na ida pegamos o tempo chuvoso e aquela Kombi voadora balançava muito, fazia uns barulhos super estranhos que eu, por um momento, desejei ter escolhido viajar pra Punta Cana! Mas no fim, o voo é bem rápido e quando chega no arquipélago a vista do alto realmente compensa o sacrifício.

Tente pegar os lugares logo atrás do piloto. Além de garantir a melhor vista, é legal ficar observando bem de perto como se pilota um avião, ainda que seja um teco-teco venezuelano.

Chegando no paraíso


O teco-teco e o desembarque

Já em LR conversando com os locais, todos me disseram que esse voo é super tranquilo, que nunca havia caído um avião e tal (tempos depois que voltei de lá um avião de um italiano ricaço caiu por lá, medoo). Que na verdade, os aviões pequenos são melhores pois se caírem, não afundam direto pois são leves. Ah, tá!

Outro detalhe: se você vai com mais de duas malas, considere ir pela Aerotuy. Nossa ida pela Chapi Air foi super tranquila pois pegamos o avião "maior", com 12 lugares. Na volta, o avião era o de 8 lugares e com isso tivemos que despachar o material de kite um dia antes. Imagina, despachar sua bagagem antes e saber que ela vai ficar lá no aerporto de Caracas abandonada? Nossa sorte foi a Roquemar, pois pedimos pro pessoal da agência buscar o material e guardar com eles. Mais uma vez, ponto pra agência!

Chegando no paraíso

Já em terra firme de novo (ufa, sobrevivi ao teco-teco!), é preciso passar pela guarda chavista e pagar a taxa de permanência no parque. Sim, Los Roques é um parque nacional. Essa taxa tem que ser paga em bolívares em espécie, por isso é imprescindível que você chegue na ilha com alguns poucos trocados. Não deixe de fazer câmbio no aeroporto, por mais tenso que possa parecer, é necessário.

E se você conseguir chegar cedo na ilha (a boa é pegar logo o primeiro voo do dia) é colocar roupa de praia e começar os trabalhos! Recomendo conhecer Madrisqui e Francisqui no mesmo dia. Essas são as ilhas mais próximas de Gran Roque e dá tranquilamente pra conhecer as duas logo no primeiro dia.


Madrisqui

Franscisqui

Onde se hospedar

A população do arquipélago se concentra na ilha de Gran Roque, a maior das ilhas. E é lá que ficam o aeroporto, as pousadas, os poucos restaurantes e comércio em geral.

As pousadas são muito parecidas no quesito estrutural, são casas de moradores adaptadas. Umas mais humildes, outras oferecem algum diferencial, mas todas simples. Como a oferta de restaurantes é pequena, é bem comum as pousadas oferecem pacotes com pensão completa ou meia pensão. Traduzindo: pensão completa = café da manhã + cava (caixa térmica) com comes e bebes pra levar para a praia + jantar estiloso (entrada, primeiro prato, prato principal e sobremesa). Meia pensão: versão sem a janta.

Movida pela total insegurança, pois achei que não encontraria restaurantes na ilha, contratei o regime de pensão completa. Me arrependi muito. A experiência do “jantar surpresa” não foi muito boa pra mim. Até porque não tinha muita surpresa, o prato era sempre o mesmo: peixe. Estando lá constatei que há sim alguns poucos restaurantes da ilha e quase todas as pousadas aceitam reserva para o jantar. Se você não é fã incondicional de peixe, considere a possibilidade de escolher o que vai jantar.

Outro ponto que não curti muito foi a cava com os lanches pra praia. A ideia é boa: acordar com tudo pronto pra passar o dia na praia. O problema é o prato principal que eles colocam na tal cava: arroz gelado (tipo arroz maluco que a vovó fazia) ou salada de macarrão. Só mandaram sanduíche um dia, nos outros foi bem sofrido, no meio do dia, naquela praia paradisíaca abrir a cava e dar de cara com o arroz ou o macarrão gelados! Costume deles né.. Além do menu exótico, tinha alguns biscoitos, água, refrigerante e muita Solera! Cerveja local que era cobrada à parte.

Pra quem não quiser contratar a cava dá pra se virar e comprar biscoitos, frios e pães pra fazer um sanduíche. A pousada empresta a cava mesmo que você não contrate o regime de pensão completa. E depois não é trabalho nenhum agilizar o lanche do dia seguinte. Padaria, mercadinho, tudo fica próximo e depois que o sol se põe não tem mesmo o que fazer na ilha!
 
Os passeios

A primeira pegadinha que caímos lá (sim, sempre caímos nas pegadinhas do malandro) foi descobrir que o tal passeio incluído na diária da pousada era somente para as ilhas próximas, ou seja, Madrisqui e Francisqui. E essas, vimos que dava pra fazer em um dia só. Todos os outros passeios para ilhas mais distantes, que a pousada fechar pra você são pagos à parte e aquele valor de passeio já agregado à sua diária não é abatido do valor dos outros passeios. Ou seja, você dançou mané! Por isso na hora de fechar a pousada, acho que não vale a pena incluir os passeios na diária.

No mais, concentre-se nas ilhas que quer conhecer e deixe a pousada desenrolar o barco pra você. O que rolou de improviso com a gente que deu super certo, foi fecharmos um grupo com mais 4 casais brasileiros que conhecemos lá, (gente finíssimas por sinal) lotando o barco. Daí tínhamos muito mais liberdade em nossos passeios com relação a horário e permanência nas praias. No final até na escolha do itinerário, pois o barqueiro ficou super amigo da galera.

Escrevi um post específico sobre as praias de Los Roques. Por aqui, vou só mostrar algumas fotos das praias que você não pode deixar de visitar.

Cayo de Agua

Crasqui

Carenero

Bequevé

Os passeios sempre retornam à Gran Roque no final do dia, por volta das 17hrs e aí o único programa disponível, e diga-se de passagem imperdível, é o por do sol de LR.

Vale a pena subir do alto do morro do farol ou então ver da beira da praia mesmo. É lindo de qualquer jeito. 

Do alto do morro do farol

Da praia

Olha essas cores!

À noite

Diversão noturna: nenhuma. Mas rola uma parada muito engraçada em LR. Pra vc que não foi jogar nos cassinos de Aruba, não fique triste, do lado da pousada Guaripete tem um beco que a noite a jogatina rola solta! A parada é muito surreal. Os locais montam umas mesinhas e passam a noite jogando bingo. São várias mesas de apostas, um monte de gente gritando ao mesmo tempo. Mas tudo muito roots! Eu fiquei sem coragem de apostar e nem consegui tirar foto pois não conseguia parar de rir mas pra quem se animar, fica a dica.

Agora falando sério, no quesito diversão noturna, LR conta com uma boate chamada Neptunos, que segundo os locais é uma boate gay e tem um barzinho na beira da praia muito legal, o Aquarena. Aqui rola umas mesas na areia da praia, com DJ tocando e a galera “descolada” de LR bate ponto lá. Lembro que por causa do câmbio, a bebida era muito barata. No dia que fomos, o lugar tava bem animado (ou fomos nós que animamos, não sei) mas não foi até muito tarde não. À meia-noite a guarda chavista mandou desligar o som. Coisas da Venezuela..


Neptuno's Club

Decoração interna: um alien psy fazendo kite

Night "bombando"no Aquarena

Kitesurf

Um dos motivos pra escolhermos Los Roques, foi o maridão que viu um vídeo de kite na internet e daí ele já se imaginou fazendo as manobras naquela água surreal. Coitado, chegou na fissura e ficou só na vontade por que não ventou nenhum dia! Aliás, nos dois dias em que tentou, ele conheceu uma praia que ninguém conheceu em LR: a Silasqui!! A primeira vez em Cayo de Agua, acabou o vento no meio do mar e quando ele conseguiu chegar no raso tava cheio de ouriço. Na segunda vez em Carenero, um cachorro louco entrou na água e mordeu ele (hein!??!). Pois é, tivemos que baixar no posto de saúde de LR (medoo) pra ele tomar antitetânica, mas deu tudo certo no final.


Kite em Cayo de Agua
Kite em Carenero e os "perros locos"

Partindo do paraíso

Tristeza por deixar o paraíso, animação por que tínhamos um outro destino à vista: próxima parada Aruba!

O voo de volta foi bem mais tranquilo que o da ida. O tempo estava bom e a vista lá de cima era sensacional. Antes de sair de lá o piloto me perguntou se eu tinha gostado de LR, disse que sim e aí ele me disse pra começar a rezar. Eu não entendi, achei que ele tava viajando. Chegando em Caracas, esse mané do piloto resolveu  fazer gracinha e começou a falar no celular. Eu já comecei a ficar tensa.. quando ele ia pousar o avião começou a balançar muito e eu achei que ia cair. O maridão disse que viu a hora em que um piloto cutucou o outro e o avião começou a balançar, ou seja, eles tavam de sacanagem querendo me botar medo! E não é que eles conseguiram? Que idiotas.. hahaha. Não caiam nessa..

Hora de deixar o paraíso

Literalmente nas nuves

Informações sobre LR atualizadas

Para obter informações atuais de LR, entra no grupo do Facebook Dicas Los Roques. O grupo é bem ativo com a galera que está indo ou acabou de chegar de lá. Foi assim que conheci parte da nossa turma de brasileiros em LR. Lá você também pode conseguir contatos de outras pousadas, saber do câmbio, condições dos aviões etc. Fica a dica.

Dicas Gerais

O tempo ideal de estadia é de sete dias. Dá pra conhecer todas as ilhas principais com calma. Mais do que isso, você começa a repetir as ilhas. Isso não é lá um grande problema, eu sei..

Acostume-se com o estilo informal da ilha. Tudo é combinado na palavra, nada vem por escrito.. Mas funciona.

Pra quem combinou de pagar a pousada com Paypal, cuidado ao deixar pra pagar o restante da reserva quando chegar lá. Comigo o sistema do Paypal bloqueou a minha conta por eu estar realizando o acesso na Venezuela. Pra desbloquear, eu tive que fazer de novo todo aquele processo de cadastramento de cartão, no qual eles debitam um valor na fatura e esse valor é informado no site para confirmação. Isso demorou uns 4/5 dias e eu fiquei mega sem graça de estar hospedada sem pagar o combinado. O pessoal da pousada foi super fofo e a todo momento falavam pra eu ficar tranquila. Mas foi super chato. Por isso, avalie bem antes de deixar pra pagar por lá o restante da hospedagem pelo Paypal.

LR é conhecido por ter um tempo impecável: um índice pluviométrico baixíssimo e está fora da zona de furacões do Caribe. Na primeira quinzena de abril e peguei o tempo bom quase todos os dias. Apenas em uma das madrugadas rolou uma tempestade bizarra (nesse momento eu queria matar o mané que disse que lá é fora da zona de furacões). Sim, eu tive certeza que aquilo era um furacão. Exageros à parte, o tempo fechou apenas um dia e com chuva, não há nada a fazer.

**Data da viagem: abril/2012

9 comentários:

  1. Renata!
    Parabéns pelo relato! muito bom!!
    Poderia tirar uma dúvida? você pagou U$2000 para o casal em uma agencia de turismo da Venezuela? Quantas diárias vocês ficaram? O pagamento de 50% para a a agencia foi feita via Paypal? e PQ vc não quitou os demais 50% em Caracas?
    abs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá André!

      Muito obrigado pela visita! Que bom que vc gostou do meu relato. Agora vamos às suas perguntas:

      Eu paguei U$2000/casal com tudo incluído (transfer hotel/aeroporto, hotel em Caracas, passagens Caracas/LR e hospedagem em LR com pensão completa) por 7 noites. A agência Roquemar é do Andrea, um italiano que tb é sócio da Guaripete. Eles foram super atenciosos, respondiam meus emails rapidamente, tirando todas as dúvidas. E eles ainda agilizam o cambio no aeroporto.

      Eles tem uma página no face. Dá uma olhada lá: https://www.facebook.com/pages/Roquemar-Travel-Services-Aeropuerto-Internacional-Maiquetia/307420915958620

      Paguei tudo pelo Paypal, 50% de sinal aqui do Brasil e 50% lá em LR. Eu quitei quando cheguei em LR pq o tempo em Caracas foi muito curto e meu voo de ida foi muito cansativo, aproveitei o pouco tempo para descansar. Mas eu iria ter problemas da mesma forma, pois o Paypal encrencou pq o acesso estava sendo feito da Venezuela e pra evitar fraudes eles travaram minha conta.

      É claro que no início eu fiquei super desconfiada.. mas quando cheguei lá percebi que tudo em LR é feito assim, na base da palavra, do combinado.. mas não tivemos problemas algum, tudo deu muito certo.

      Se tiver mais alguma dúvida, fique à vontade. E se tiver oportunidade não deixe de ir à LR.

      ;)

      Excluir
  2. OLá Renata, adorei seu blog. Tudo bem esclarecedor.
    Estava querendo viajar para o Caribe em março. E estou em dúvida entre Los Roques e San Andres, na Colombia. Você já ouviu falar de San Andres? Será que lá a água é clarinha como em Los Roques. Tinha pensado em Aruba também, mas depois do seu relato, desisti, rsrsrsrs...
    Obrigada

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Kamila,

      Que bom q vc curtiu o blog! =)

      Eu já ouvi falar de San Andrés sim.. ainda não sei muita coisa de lá, mas pelas fotos que eu vi, me pareceu bem interessante também, mas com certeza nada comparado com a beleza de Los Roques.
      Apesar de ser Caribe, acho que são propostas diferentes.Los Roques é diferente de qq lugar.. (nossa, eu tô muito suspeita pra falar, hahaha).

      Pesquise bem antes de se decidir. Los Roques é lindo mas tem um acesso muito complicado, ainda mais em tempos de Venezuela revoltada. Entre nesse grupo do face que eu falei no post e acompanhe os relatos de quem tem ido por último..

      No mais, em caso de dúvida, não hesite em perguntar! Tenho certeza de q vc será feliz em qq um dos dois lugares, o Caribe é demais!

      =)

      Excluir
  3. Olá Renata, adoro seu blog! Sempre consulto e, comprovo nas minhas viagens, suas dicas valiosas! Em relação a Los Roques tenho algo pra dizer: se vc se importa com os animais talvez não vá curtir 100%. O número de cães abandonados, famintos, esqueléticos e doentes é inacreditável. Pra mim bateu forte e Los Roques não foi tudo isso.

    ResponderExcluir
  4. Olá Sônia,

    Muito obrigado pelo elogio. Vc não imagina como fico feliz em saber que as minhas dicas são úteis para outros viajantes!

    Então, sou tão apaixonada por cães que tenho três filhas! Mas quando fui em Los Roques, em 2012, não vi cachorros abandonados não.. a não ser um ou outro perdido pela rua mas que não aparentavam maus tratos. Até o cachorro que mordeu meu marido em Carenero, porque se assustou com ele andando de kite, estava bem tratado.

    Talvez isso possa ser mais um dos reflexos da situação econômica em que a Venezuela se encontra. Além do abandono das pessoas, também não deve haver nenhum órgão do governo preocupado com a saúde dos animais de lá. Triste realidade.

    Por isso, como não vivenciei situações desagradáveis como essa, a viagem foi perfeita pra mim. Mesmo tendo que ir parar no posto de saúde de lá para que meu marido tomasse uma antitetânica por causa de um cachorro maluco! Uma pena que você não viveu uma boa experiência lá..

    Espero que vc continue curtindo meu blog. Feedbacks assim como o seu é que me fazem continuar escrevendo sobre cada aventura minha nesse mundo afora! Grande beijo.

    =)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Renata, obrigada pela resposta. Continuarei contando com suas excelentes dicas mundo afora!! Parabéns pelo blog, é uma delícia de ler! Bjs

      Excluir
  5. Renata, que maravilha seu blog.
    Podemos conversar por e-mail?
    Estou planejando ir para Los Roques, gostaria da sua ajuda.

    Obrigada

    Mayara
    mayara_sukada@hotmail.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Mayara!

      Obrigado! Fico feliz que tenha gostado!

      Claro que podemos, segue meu email: renataviaja@gmail.com

      =)

      Excluir