26/10/2013

Dicas de viagem para Jericoacoara


Só esperando o show começar..

Jericoacoara é daqueles destinos que habitavam a minha lista de desejos há muito tempo e nunca que eu conseguia tirar do papel. Mas dessa vez eu consegui! E foi clássico, lindo e cheio de histórias pra contar!

A cidadezinha que  já foi uma vila de pescadores perdida no meio de um parque de dunas, hoje possui fama internacional. Também pudera.. um lugar super charmoso, que possui praias e lagoas lindíssimas e um vento constante que faz a alegria de velejadores do mundo todo. Os gringos já dominam o lugar!

 Vem comigo conhecer as maravilhas desse paraíso perdido entre as dunas!

A minha viagem

A minha passagem por Jericoacoara fez parte da roadtrip que fiz pelo Ceará durante 15 dias. Por lá, montei base por 6 dias pois queria ter tempo suficiente pra aproveitar tudo com calma já que a logística pra chegar até Jeri é um pouco complicada.

Cheguei no final do feriado de 7 de setembro e encontrei a cidade lotada. Quando terminou o feriadão a cidade se transformou e voltou a ser uma pequena vila pacata e simpática e nós éramos umas das poucas pessoas que falavam português naquele lugar!

Como chegar

Jeri fica a 300km de Fortaleza. Não bastasse ser longe, não é acessível por carro comum (há controvérsias).

Sentido Jeri


É preciso arrumar um jeito de chegar até Jijoca de Jericoacoara ou à Praia do Preá e de lá seguir de 4x4. Seguem as opções:

- Ônibus

Saindo de Fortaleza há linhas regulares de ônibus, operados pela Fretcare as passagens podem ser  compradas pela internet. Porém, o ônibus leva 5/6h pra correr os 300km. Chegando em Jijoca, ainda tem que pegar a jardineira (nome bonito pra pau-de-arara) e chacoalhar 20km nas dunas até chegar na vila de Jeri.

Se o seu orçamento é curto, sem dúvida essa é a maneira mais econômica, mas será necessário um dia inteiro na função chegar ou sair de Jeri.

- Transfer

Se dinheiro não é o seu problema (amém!) essa é a opção mais rápida e confortável. Um carro 4x4 vai te buscar em Fortaleza e te deixa na sua pousada em Jeri. Coisa melhor não há né.. mas o conforto tem preço e é caro. Se quiser consultar algumas opções, dê uma olhada nesse site que tem vários contatos de empresas de transfer.

- Carro

De carro comum, saindo de Fortaleza e seguindo pela CE-085, o ideal é deixá-lo estacionado em Jijoca e seguir de jardineira até Jeri. É seguro e evita dor de cabeça, vai por mim.

Outra opção é ir com o carro até Jeri. Essa  é a opção mais controversa e claro, tinha que ser a nossa, não é? É possível chegar de carro comum até Jeri passando pelas dunas, desde que esteja sem chover há dias, ou seja as trilhas precisam estar bem secas. Uma dica pra saber como está a trilha é perguntar na sua pousada se os carros comuns estão chegando em Jeri.

Outro detalhe fundamental: não faça isso sozinho em hipótese nenhuma pois as trilhas no meio das dunas são todas idênticas e somente um guia local, profundo conhecedor do lugar, pode ajudar nessa missão quase impossível.

Se estiver com carro alugado, fique atento pois a grande maioria das locadoras não permite o uso de carro comum na areia da praia, já que o carro certamente vai ser detonado. Tentando evitar esta prática, soube de locadoras que recompensam bugreiros que fotografam carros de locadora na praia. Daí quando você chegar pra devolver o carro, a multa já estará pronta pra ser paga. Como eu fui antes do boom dos celulares com câmeras, ninguém me flagrou por lá.

Hospedagem

Pela primeira vez nessa viagem fechei a pousada com antecedência pois chegaríamos em Jeri no meio do feriadão de 7 de setembro e fiquei com medo de chegar lá e passar perrengue pra achar lugar, como aconteceu em Fortaleza.

Cinco dias antes da minha chegada, fechei com a Pousada Pedra Furada. No mesmo estilo honesto de sempre: simples, com ar, café e internet e bom preço. O bom é que Jeri tem uma infinidade de opções de pousadas, pra todo tipo de gosto e bolso.

Pra consultar outras opções de hospedagem, clique aqui. Mas lembre-se sempre de ficar atento às avaliações, ok? 😉


A aventura pra chegar em Jeri de 4x2

Como já disse no post de Flecheiras, em Lagoinha conhecemos um guia que nos prometeu uma experiência inesquecível: até Jeri, todo o trajeto seria percorrido pela praia, assim, veríamos paisagens incríveis e exclusivas. E tudo isso com o nosso humilde Palio 1.0 alugado: a máquina!!

A oferta era tentadora, mas existia um alerta no contrato da locadora em letras garrafais: NÃO COLOCAR O CARRO NA AREIA DA PRAIA. Bem, se tinha um aviso desses no contrato é por que muita gente já havia feito isso. Eu fui contra a ideia de seguir com o carro até Jeri desde o início, queria mesmo era seguir o meu roteiro inicial e deixar o carro parado em Jijoca. Mas como o vento estava "over", o maridão velejou pouco e estava ávido por aventura.. Daí pro guia convencer ele, foi um pulo só e eu não tive argumentos convincentes. Eram dois contra um!

Saindo de Flecheiras, fomos até Mundaú e de lá atravessamos o carro numa balsa muito roots. Daí em diante era só praia. Mas ainda bem que a promessa do guia de seguir sempre pela praia até Jeri não se cumpriu, graças à maré. Um pouco antes de Icaraí de Amontada ele disse que teríamos que subir para a estrada de asfalto e seguir até o Preá. Ufa, que alívio! Mas do Preá em diante, não tinha jeito, o caminho era pelas dunas..

Olha o style da balsa

Vou te falar que a viagem em si é um passeio incrível, mas feito de forma adequada. Se quiser ir curtindo o visual da praia, faça da maneira correta: contrate um transfer 4x4.  De Palio é perrengue total! Depois de muito tempo chacoalhando pelas dunas chegamos em Jeri. No final da viagem eu tava um bagaço, acho que mais pela tensão..

Cheguei em Jeri, ufa!

Pra relaxar depois de tanta tensão, aproveitei a tarde do primeiro dia pra curtir uma praia ali mesmo. Como era final de feriadão, a cidade ainda estava bem cheia. No fim do dia pude finalmente apreciar o famoso pôr do sol na duna de Jeri. A cidade inteira vai pra lá e a duna fica lotada. Um espetáculo!

Primeira visão de Jeri

Primeiro por do sol em Jeri

É, foi fácil esquecer do perrengue da viagem..

As principais atrações em Jeri são as lagoas: do Paraíso e Azul. São formadas pelo acúmulo da água das chuvas, portanto são de água doce. Para conhecê-las, o normal é alugar um bugre pra fazer os passeios. Assim como em todos os lugares no Ceará, esteja preparado, pois o preço do passeio é salgado.

Lagoa da Tatajuba de Palio..

A Lagoa da Tatajuba, fica a uns 40 km de distância de Jeri sentido norte. E lá fomos nós com a nossa máquina. O caminho é bem puxado, passa por todo tipo de obstáculo.

Na ida o guia quis parar num ponto de observação de cavalo marinho. Eu declinei, acho super sem graça prender o coitado do cavalo marinho, que tá lá feliz da vida solto na natureza, dentro de um pote de maionese. Essa eu passo!

Tinha mais uma balsa no caminho

Seguindo adiante pela beira da praia passamos por dentro de um mangue seco e aí chegamos na Velha Tatajuba, que era a antiga sede da cidade que foi expulsa pelo movimento das dunas. Meio sem graça.

Seguimos por um mangue molhado, mas com a maré baixa deu pra passar na boa até chegarmos na lagoa que é linda de morrer. Ali o guia disse que passaríamos o dia, saindo no fim de tarde. Eu então tratei de achar uma rede pra me chegar e o maridão foi velejar. 

Mangue Seco

E no meio do caminho tinha uma âncora!

Vista da Velha Tatajuba

Boa vida na Lagoa da Tatajuba

Kite na Tatajuba

Depois de uma hora de puro relax, o guia chega dizendo que a gente teria que sair correndo pois a maré estava subindo e a gente não ia conseguir passar com a nossa “máquina”. Desespero total. Chama o maridão lá do meio da lagoa, desmonta kite correndo e corre pro carro. E o que tá ruim sempre pode piorar: pneu do carro vazio.. Daí começou aquela correria pra trocar pneu, imagina estabilizar o macaco na areia? Eita guia trapalhão..

Olha a nossa máquina sendo maltratada

Depois de trocado o pneu, saímos correndo. O mangue que era úmido, já estava todo molhado pois a água já tinha subido. Perrengue total pra passar, mas passamos. Chegando no tal mangue seco, com a maré alta, a água do mar já quase batia no carro (e eu já apavorada). Chegou num determinado ponto do caminho à beira do mar que a água chegou na duna e não havia outro caminho senão por cima dela.

Neste momento pararam 3 carros comuns como o nosso: um Spacefox (1.6), uma Doblô (1.4) e o nosso Palio (1.0), pelo menos vi que nós não éramos os únicos loucos a andar de carro comum em Jeri.

Primeiro foi a Doblô e o guia que dirigia o carro, escolheu mal o local de subida e bateu a frente do carro na duna, mas subiu. A galera ficou tensa. Depois foi a vez da Spacefox, que subiu por outro caminho sem problemas e foi embora. Sobrou nossa máquina 1.0, sem força pra subir o morrão.

Demos uma mega ré pra dar distância, pegamos embalo e não é que o Palio chegou lá em cima da duna? Agora eu posso falar que foi muito irado, mas na hora foi bem sinistro!! E nisso, passavam vários bugreiros mas ninguém ajudava não. Segundo nosso guia trapalhão isso acontece porque eles não gostam dos guias que põem carro comum pra rodar em Jeri, porque assim os bugreiros perdem turistas. Rolou até uma desconfiança se não foram eles que esvaziaram o pneu do nosso carro, mas deixa isso pra lá..

Lagoa Azul e do Paraíso

Esse é outro passeio tradicional de Jeri e pelo menos o caminho foi bem mais tranquilo, sem fortes emoções. Na verdade as duas são a mesma lagoa, porém em pontos diferentes que possuem estrutura de bar/restaurante. As águas são claríssimas e frescas, uma maravilha!

Pra chegar na Lagoa Azul pegamos uma jangada

Lagoa Azul

Boa vida na Lagoa do Paraíso

Lagoa do Paraíso

Vista do alto

De lá também dá pra ir na Lagoa do Coração, que não tem a água tão clara, mas chama atenção pelo seu formato.

Lagoa do Coração (não deu pra fotografar ela inteira)

No caminho de volta, o guia nos levou pra conhecer a Árvore Torta, que é uma atração local.

A árvore fica torta por causa da força do vento

Pedra Furada


Outra parada obrigatória em Jeri é a Pedra Furada. Pra chegar lá é bem fácil, é só pegar a praia de Jeri e seguir pela direita. Tem que ir com a maré baixa senão não dá pra fazer o caminho e nem pra ver a Pedra Furada. Dá uma meia hora de caminhada em praia deserta e tem vários pontos legais pra parada, com piscinas naturais e várias formações rochosas bem interessantes.

Delícia de caminho até a Pedra Furada

Várias piscinas naturais

Chegamos!

Chegando na Pedra Furada é tirar as fotos, tomar uma água de coco, marcar um dez e voltar. A volta pode ser pela praia, se a maré permitir ou pelo Morro do Serrote. Nós preferimos voltar pelo morro, pra curtir a vista do alto. Vale o passeio.

Olha ela de pertinho

E vista do alto

Vista do Morro do Serrote

Fim de tarde em Jeri

O pôr do sol em Jeri é uma atração à parte. Assim como em Canoa, a cidade para pra ver esse espetáculo que realmente merece ser apreciado. E o mais incrível é que todo dia o pôr do sol é perfeito! Soma-se a isso a galera fazendo manobras inacreditáveis de kite. São cenas realmente espetaculares..

Galera brincando

Rolezinho fim de tarde

Galera na duna

Meu orgulho!

Outro dia, lindas manobras

Não tem como não se apaixonar..

Pôr do Sol no Morro do Serrote

Mais uma dica de passeio em Jeri é o aluguel de cavalo para subir o Morro do Serrote e curtir o pôr do sol do farol. Os caras que alugam os cavalos costumam ficar perto da praia.

Lembro que o passeio não foi caro mas aviso que é preciso ter preparo físico por que é cansativo (é, eu não sou nenhuma amazona)! O pôr do sol de cima do Morro do Serrote é lindo! Aliás em Jeri é bonito em qualquer lugar!


Vista do Preá

Nossos amigos

Explosão de luz

Que fim levou "a máquina"??

Bem, a aventura com a nossa "máquina" chamada Palio 1.0 foi bem intensa. Depois de subir duna, passar por mangue, por água salgada, por dentro de rio, de tudo que se possa imaginar, o carro pifou! Nossa que surpresa né?? Eu queria matar o maridão e o guia trapalhão! Só pensava em como eu ia explicar pro cara da locadora que o carro tinha ficado DENTRO de Jericoacoara! E quanto isso ia nos custar. Mas aí, até que o guia trapalhão mostrou serviço.

Levou o carro (empurrando) até uma oficina de bugres que tem lá em Jeri. O mecânico falou que era simples, porque isso sempre acontecia com os carros que iam pra lá. Que alívio.. mas imaginei que ele ia me cobrar uma fortuna, já que eu era uma turista desesperada e no perrengue total. Mas como o dono da oficina conhecia o guia, ele nos cobrou só R$70!! Até que enfim o guia salvou!!

Na hora de ir embora, não tinha jeito: pegamos o famigerado caminho das dunas com nosso Palio até a Praia do Preá. De lá pegamos o asfalto até a cidade natal do guia, Paraipaba, que é perto de Lagoinha, onde demos uma senhora lavagem no carro antes de entregar à locadora. Lá, nos despedimos de nosso guia trapalhão. Tenho que dizer que apesar dos pesares, o cara era bom: tava ali trabalhando honestamente e sempre que a gente precisou ele chegou junto. Na hora do aperto, ele não deixou a gente na mão e além do mais era super gente boa.

Seguimos então nosso caminho até Fortaleza, onde entregamos o carro (sem nenhum problema aparente) e partimos de volta ao Rio.

Impressões Gerais

Jeri é um paraíso que vale muito a visita. Por alguns momentos nem parecia que eu estava no Brasil de tanto europeu que tinha naquele lugar.

Não recomendo menos de 3 dias inteiros em Jeri de jeito nenhum. A logística pra chegar lá é muito complicada e menos tempo que isso não faz valer o sacrifício.

Pra chegar em Jeri recomendo pegar a estrada CE-085 e não a BR-402 como muita gente faz. Além do caminho ser mais longo pela BR, tem muito trânsito de caminhões e daí a estrada fica mais perigosa.

Também não recomendo ir de carro comum pra Jeri. Apesar de ter sido uma super aventura com boas histórias pra contar é um risco desnecessário.

O que gostei em Jeri é que tem opções pra todos os bolsos. Desde o hotel até a alimentação, tem de tudo. Por exemplo, descobri um PF na casa de uma tia em que só os locais comiam lá. Almocei comida caseira, farta e com bom preço durante toda minha estadia. E vi muitas outras opções econômicas (mas o feijão da tia era muito bom). À noite eu já escolhia uma restaurante mais bacaninha. Enfim, é bem democrático e tem opção pra todo mundo.

Outros posts da viagem pelo Ceará:

Canoa Quebrada: curtindo a vibe de Canoa!
Morro Branco: entre garrafinhas de areia colorida e labirintos
Fortaleza: a capital cearense
Flecheiras: a surpresa da viagem

**Data da viagem: setembro/2010


11 comentários:

  1. Uauu, que aventura!! Adorei seu relato. Vou pra Jeri com meu marido em dezembro, mas vai ser só uma visita de beija-flor, pois vamos ficar mais tempo em Fortaleza.

    ResponderExcluir
  2. Ainda tem o contato do guia?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Júlio,

      Infelizmente não tenho mais. A única informação que disponho é o nome dele, que é Rogério da cidade de Paraipaba. Era assim que todos de Lagoinha conheciam ele.

      Abraços!
      =)

      Excluir
  3. Olá Renata,

    Para chegar de carro até Jijoca é tranquilo? Vou para lá em Julho e gostaria de ir de carro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Daniela,

      Até Jijoca é super tranquilo chegar de carro, pode ir sem medo de ser feliz! Super recomendo deixar ele estacionado bonitinho em Jijoca e ir pra Jeri de jardineira!

      =)

      Excluir
  4. muito bom sua dica! devo ir agora em novembro vou entrar em contato com a pousada e verificar as condiçoes da estrada mas to quase convencido de deixar o carro em jijoca. apesar do esprito de aventurar falar muito alto!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Anderson,

      Desculpe a demora em respondê-lo.

      Então, tome cuidado com essa ida de carro comum até Jeri, além de tensa, não dá pra fazer sem guia. Nas dunas todos os caminhos são iguais, só um local pra saber o caminho certo!

      Eu recomendo (com propriedade) deixar o carro em Jijoca! Vai por mim! Rs!

      Boa viagem e aproveite muito!
      =)

      Excluir
  5. Oi Re, vou sozinha pra Jeri em Setembro/17 mas já estou pesquisando e queria saber se você acha que compensa passar um dia em Fortaleza (ida e volta) por causa do cansativo caminho até Jeri.
    Amei as dicas e eu não teria me atrevido a ir de carro comum até lá rss mas o bom é que deu tudo certo. Jeri é um lugar dos sonhos <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Michele,

      Então, eu não sei como é seu perfil de viajante e o tempo que vc tem disponível. Mas se vc for daquelas que preferem fazer tudo com mais calma sem risco de correrias e tem tempo sobrando, com certeza é mais confortável passar um dia em Fortaleza, tanto na ida como na volta.

      Mas tb sei que nem sempre a gente tem o tempo que gostaríamos né?! Se for esse seu caso, até dá pra fazer a missão toda no mesmo dia. Só fica cansativo mesmo!

      Fico feliz que minhas dicas tenham te ajudado! Jeri é mesmo um paraíso! Aproveite muito!

      Boa viagem!
      =)

      Excluir
  6. Renata,

    Vou pra Jeri em Junho/17. Passarei 7 dias lá. Será que vale a pena deixar o carro estacionado em Jijoca esse tempo todo, sendo que ele será alugado e eu estarei pagando a diária? O que vc acha? Será minha primeira vez indo pro Ceará.

    Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Danilo,

      Pra avaliar se vale a pena, a primeira coisa que vc precisa fazer é umas continhas básicas. Consulte o valor do transfer atualizado com a pousada ou com agências locais e faça um orçamento de locação (em sites como Expedia, Decolar etc) para o período. Compare os preços.

      Outro fator que vc deve levar em consideração é a comodidade. Jeri fica há umas 3/4h de viagem a partir de Fortaleza. No transfer alguém vai dirigindo pra vc.

      Outro ponto é a questão do tempo: sei que tem uns tranfers que vão buscando passageiros em vários hotéis em Fortaleza antes de sair, daí a viagem quase duplica o tempo! Se vc tiver tempo sobrando e não liga em esperar, ok. Se não, o carro pode ter uma vantagem sobre o transfer, ainda que seja mais caro.

      Não sei tb se vc vai sair/voltar de Fortaleza no mesmo dia do seu voo de chegada/partida. Se for o caso, dependendo desses horários, não dá pra encaixar com o horário do transfer, e aí só o carro mesmo pra salvar!

      Enfim, são vários fatores que vc precisa avaliar pra saber o que vale mais a pena. É que cada caso é um caso!

      Pra mim, é um gosto pessoal, sempre prefiro ter um carro à disposição.

      Qq dúvida, só chamar! Boa viagem!

      =)

      Excluir